Página 1 dos resultados de 999 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

‣ Morphological analysis of the corneal endothelium in eyes of dogs using specular microscopy; Análise morfológica com microscopia especular do endotélio corneal em olhos de cães

Pigatto, João Antonio Tadeu; Cerva, Cristine; Freire, Cesar Dias; Abib, Fernando Cesar; Bellini, Luciano P; Barros, Paulo Sergio de Moraes; Laus, José Luiz
Fonte: Rio de Janeiro Publicador: Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
Foram estudados 20 olhos de 10 cães sem raça definida, machos e fêmeas com 6 anos de idade. A morfologia das células do endotélio da córnea foi analisada utilizando-se microscópio especular de contato. Foram estudadas as regiões central e periférica da córnea. De cada região da córnea foram realizadas três micrografias. De cada micrografia foram analisadas no mínimo 100 células endoteliais. Foram obtidos os valores do polimegatismo e pleomorfismo. O endotélio corneano de cães caracterizou-se por uma monocamada de células poligonais uniformes em tamanho e forma. A forma predominante das células endoteliais foi hexagonal. O índice de polimegatismo foi 0.22. Este estudo demonstrou que a morfologia das células do endotélio da córnea de cães é semelhante à observada em humanos; Both healthy eyes of 10 six-year-old male and female mongrel dogs were studied. With a contact specular microscope the corneal endothelium was examined. Endothelial cells were analyzed in the central and peripheral cornea. Morphological analysis with regard to polymegathism and pleomorphism was performed. Three images of each region with at least 100 cells were obtained. The analysis showed that polygonal cells formed a mosaic-like pattern uniform in size and shape. The predominant number of cells was hexagonal. The polymegathism index was 0.22. The study demonstrates that the morphology of the normal corneal endothelial cells of dogs is similar to that found in the human cornea

‣ Scanning electron microscopy of the corneal endothelium of ostrich; Microscopia eletrônica de varredura do endotélio da córnea de avestruz

PIGATTO, João Antonio Tadeu; FRANZEN, Angela Aguiar; PEREIRA, Fabiana Quartiero; ALMEIDA, Ana Carolina da Veiga Rodarte de; LAUS, José Luis; SANTOS, Jaime Maia dos; GUEDES, Pedro Mancini; BARROS, Paulo Sérgio de Moraes
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
The aim of this study was to examine the endothelial surface morphology and perform a morphometric analysis of the corneal endothelial cells of ostrich (Struthio camelus) using scanning electron microscopy. Polygonality, mean cell area, cell density and coefficient of variation of mean cell area were analyzed. The normal corneal endothelium consisted of polygonal cells of uniform size and shape with few interdigitations of the cell borders. Microvilli appeared as protusions on the cellular surface. The average cell area was 269±18µm² and the endothelial cell density was 3717±240cells mm-2. The coefficient of variation of the cell area was 0.06, and the percentage of hexagonal cells was 75%. The parameters evaluated did not differ significantly between the right and the left eye from the same ostrich. The results of this study showed that the ostrich corneal endothelial cells appear quite similar to those of the other vertebrates.; Objetivou-se examinar a superfície posterior do endotélio corneano e realizar análise morfométrica das células endoteliais da córnea de avestruz (Struthio camelus) valendo-se da microscopia eletrônica de varredura. Avaliaram-se o número de lados, a área celular média, a densidade celular e o coeficiente de variação da área celular. O endotélio corneano de avestruz constitui-se de células poligonais uniformes em tamanho e forma...

‣ Interação leucócito-endotélio induzida pelo veneno de Bothrops jararaca>: papel de proteases, mediação farmacológica e soroneutralização; Leukocyte-endothelium interaction induced by Bothrops jararaca venom: role of proteases, pharmacological mediation and serum neutralization

Zychar, Bianca Cestari
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.526873%
Toxinas classificadas como serinoproteases, metaloproteases e fosfolipases A2, isoladas de venenos botrópicos, podem induzir reações inflamatórias que contribuem na gravidade dos sintomas locais observados nestes envenenamentos. Entretanto, a contribuição efetiva de cada uma destas toxinas no efeito inflamatório induzido pelo veneno não é bem compreendida. Neste estudo, o veneno de Bothrops jararaca (VBj) foi tratado com Fluoreto de fenil-metil-sulfonila (PMSF), 1,10- fenantrolina (OF) ou Brometo de p-bromafenacila (p-BPB) para inibição destas enzimas. Observou-se parâmetros de leucócitos em rolling, aderidos e migrados na interação leucócito-endotélio, após a injeção de 1g dos veneno tratados no subcutâneo da bolsa escrotal de camundongos. Os resultados foram comparados aos obtidos com o veneno bruto, sem tratamento. Os animais injetados com VBj bruto apresentaram um aumento marcante de adesão celular em todos os tempos estudados, sendo o pico dessa interação entre a 2ª e 4ª hora após a injeção. Os grupos injetados com VBj também apresentaram o maior número de células migradas na 4ª h, permanecendo esse número alto na 24ª hora e diminuindo significativamente na 48ªh após a injeção do VBj. Baseando-se nesta cinética...

‣ Resposta molecular do endotélio pulmonar à exposição aguda de material particulado  fino; Molecular response of pulmonary endothelial cells to acute exposure to fine particulate matter

Alameddine, Mirna
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.177%
Estudos epidemiológicos estabelecem uma associação evidente entre poluição do ar e o aumento de morbimortalidade cardiovascular e respiratória. No entanto, os mecanismos moleculares subjacentes aos efeitos do material particulado fino (MP2,5) sobre o organismo ainda estão pouco esclarecidos. O objetivo deste trabalho foi caracterizar o impacto da exposição ao MP2,5 sobre a biologia do endotélio pulmonar e do coração, através da avaliação do perfil de expressão gênica por microarray. Camundongos adultos fêmeas foram anestesiados e submetidos à instilação intratraqueal de MP2,5 (grupo exposto) ou veículo (grupo controle). Os animais foram sacrificados 12 a 18 horas após a instilação e pulmão, coração e sangue da veia cava inferior foram coletados. Os pulmões foram dissociados com colagenase tipo I e células endoteliais foram positivamente selecionadas por captura imuno-magnética através de micro-ímãs acoplados a anti-CD31. O cRNA derivado de endotélio pulmonar e de coração total foi hibridizado em membrana de microarray de baixa densidade desenhada para representar genes relevantes à biologia endotelial. Os genes encontrados diferencialmente expressos no pulmão foram Itgb1, Cxcl1, Tnf, Ecgf1 e Tnfaip3 (hiper-expressos em expostos a MP2...

‣ Análise morfométrica do endotélio corneano de coelhos à microscopia eletrônica de varredura; Morphometric analysis of the corneal endothelium of rabbits using scanning electron microscopy

Pigatto, João Antonio Tadeu; Abib, Fernando César; Pizzeti, Julio César; Laus, José Luiz; Santos, Jaime Maia dos; Barros, Paulo Sérgio de Moraes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.415938%
O endotélio, constituído de uma monocamada de células poligonais, constitui-se na estrutura mais posterior da córnea. Objetivou-se examinar a superfície posterior do endotélio corneano e realizar análise morfométrica das células endoteliais da córnea de coelhos valendo-se da microscopia eletrônica de varredura. Avaliaram-se o número de lados, a área celular média, a densidade celular e o coeficiente de variação da área celular. O endotélio corneano de coelhos constitui-se de células poligonais uniformes em tamanho e forma, e com interdigitações das bordas celulares. Vizibilizaram-se microvilosidades na superfície celular. Relativamente à forma celular encontraram-se células na maioria hexagonais (75%) com células pentagonais (14%) e heptagonais (11%) constituindo o restante do endotélio corneano. A área celular média foi de 174 ± 32 μm2 e a densidade celular foi de 5747 ± 238 células por milímetro quadrado. O coeficiente de variação foi de 0.21. Não foram observadas diferenças significativas entre os parâmetros avaliados entre os olhos esquerdo e direito. Este estudo demonstrou que o endotélio corneano de coelhos é semelhante ao descrito em outros vertebrados.; The endothelium is a single layer of polygonal cells covering the posterior surface of the cornea. The aim of this study was to examine the endothelial surface morphology and to perform morphometric analysis of the corneal endothelial cells of rabbits using scanning electron microscopy. Morphometric analysis with regard to polygonality...

‣ Avaliação do endotélio corneano suíno por microscopia eletrônica de varredura após aplicação de azul brilhante a 0,05% na câmara anterior – Estudo in vitro; Swine corneal endothelium scanning electron microscopy after brilliant blue 0.05% intracameral use – in vitro study

Tessarioli, Mariana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
Diversos corantes vitais vêm sendo estudados e utilizados para a facilitação da capsulotomia curvilínea contínua (CCC) nas cirurgias de catarata no homem e nos animais. Além de corar adequadamente a cápsula anterior da lente e favorecer um melhor desempenho do cirurgião durante a realização da CCC, os corantes vitais devem ser seguros quanto aos seus efeitos sobre as estruturas oculares, em especial ao endotélio corneano, quando empregados com esta finalidade. O azul brilhante é um corante vital já empregado em cirurgias oculares do segmento posterior para coloração da retina e atualmente estudado sobre seu potencial de utilização em cirurgias de catarata para coloração da cápsula anterior da lente. Com o objetivo de avaliar os efeitos do uso intracameral do azul brilhante 0,05% na ultra-estrutura do endotélio corneano de suínos, vinte córneas de suínos foram avaliadas divididas em dois grupos: córneas dos bulbos oculares direitos (grupo controle) e esquerdos (grupo experimental). Todos os bulbos oculares foram previamente avaliados por microscopia especular. No grupo experimental foi realizada injeção intracameral de 0,2ml do corante azul brilhante 0,05% (OPTH-blue®) que permaneceu por um minuto antes de ser removido pela aplicação de solução salina balanceada. As córneas de ambos os grupos foram excisadas e avaliadas por microscopia eletrônica de varredura. Não houve diferença entre as imagens endoteliais obtidas em ambos os grupos. O uso intracameral do azul brilhante 0...

‣ Avaliação do endotélio da córnea de chinchilas ( chinchilla Lanigera) em diferentes faixas etárias utilizando a microscopia

Bercht, Bernardo Stefano
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
O endotélio é uma monocamada de células achatadas, poligonais e interligadas que recobrem a superfície posterior da córnea, sendo fundamental na manutenção da transparência desta estrutura. Embora as chinchilas (Chinchilla lanigera) sejam utilizadas em pesquisas oftálmicas, não existem dados referentes ao endotélio da córnea nesta espécie. Portanto, objetivou-se avaliar a densidade celular, a paquimetria, a área celular média e a morfologia do endotélio da córnea de chinchilas em diferentes faixas etárias. Foram estudados 60 bulbos oculares de 30 chinchilas, machos ou fêmeas, de diferentes faixas etárias. As chinchilas foram subdivididas em três grupos com 10 animais cada, designados por: G I (animais com idade entre dois a quatro meses); G II (animais com 11 meses de idade) e G III (animais com quatro anos de idade). A densidade celular endotelial média nos animais dos grupos G I, G II e G III foi de respectivamente 3385,39 ± 507,53, 2565,51 ± 220,46 e 1812,82 ± 117,92 células/mm2. A área celular média foi de respectivamente 301,51 ± 43,94, 392,46 ± 33,34 e de 553,79 ± 35,70 μm2 para G I, G II e G III. Os resultados apontam decréscimo da densidade, do pleomorfismo, e aumento da área celular média com o aumento da idade. A espessura da córnea aumentou em animais mais velhos. Conclui-se que o endotélio da córnea de chinchilas sofre alterações com o avanço da idade.; The corneal endothelium is a monolayer of interconnected flattened polygonal cells that cover the back surface of the cornea...

‣ Morfologia e morfometria do endotélio corneal de gatos (Felis catus - Linnaeus, 1758) de diferentes idades à microscopia especular

Franzen, Angela Aguiar
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: ix, 47 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Cirurgia Veterinária - FCAV; O endotélio corneal é essencial para a manutenção da transparência da córnea, é necessário um número mínimo de células endoteliais para a manutenção desta transparência. As alterações morfológicas e morfométricas do endotélio da córnea de gatos decorrentes do avanço da idade não estão ainda compreendidas e elucidadas. Objetivou-se estudar os parâmetros morfológicos e morfométricos do endotélio da córnea de gatos de diferentes idades, utilizando-se a microscopia especular. Avaliaram-se a densidade celular, a área celular média, o pleomorfismo e o polimegatismo. Empregaram-se 18 animais da espécie felina (Felis catus - LINNAEUS, 1758), machos ou fêmeas, subdivididos em três grupos com 6 animais cada, designados por: G1 (animais com idade entre 1 a 3 meses); G2 (animais com idade entre 5 a 12 meses) e G3 (animais com idades entre 24 a 40 meses). A microscopia especular de contato revelou que com o avanço da idade a densidade celular endotelial diminuiu, a área celular média e o pleomorfismo aumentaram e o polimegatismo apresentou valores constantes nos 3 grupos estudados.; The corneal endothelium is essential to maintain the corneal transparency. Morphological and morphometric changes in the feline corneal endothelium as a function of age are little known. The purpose of this study was investigating the effect of age on endothelial morphology and morphometry in cats. The corneal endothelium was studied throught contact specular microscopy. The exam presented data as cell density...

‣ Efeitos do ácido ascórbico intracameral sobre o endotélio corneal e sobre o fator de necrose tumoral alfa (TNF-a) em cães submetidos à facoemulsificação

Martinez Pádua, Ivan Ricardo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: ix, 51 p. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
Pós-graduação em Cirurgia Veterinária - FCAV; Cataract is among the most common eye diseases in dogs. Phacoemulsification is the method that best fits to therapy and a favorite among veterinary ophthalmologists. The cellularity of the corneal endothelium is considered to be a condition for the success of the surgery, since a permanent endothelial injury can induce corneal decompensation. The goal of this study was to evaluate the antioxidant effects of ascorbic acid on the corneal endothelium, as well as the expression of the tumor necrosis factor alpha (TNF-α) in the aqueous humor was evaluated of dogs submitted to phacoemulsification. It was used 40 eyes of 20 dogs, male or female, with 7 to 12 years, and bilateral senile cataracts. The dogs were separated into two groups (n = 20), differing only in the composition of the solution used to irrigate the eyes in the phacoemulsification. Group 1 (G1) received balanced salt solution (BSS) and Group 2 (G2) received sterile BSS containing 0.001 M ascorbic acid. The corneal endothelium was evaluated by non-contact specular microscopy before and at different times after phacoemulsification, in terms of cell density (cells/mm2), cell area (mm2), corneal thickness (mm), hexagonality, and coefficient of variation in cell size. The expression of TNF-α in the aqueous humor was measured by competitive enzyme immunoassay. P values equal to or less than 0.05 were considered significant. Regarding the density of endothelial cells...

‣ Avaliação funcional do endotelio venoso e arterial em pacientes com hipertensão arterial refrataria; Functional evaluation of venous and arterial endothelium in patients with refractory hypertension

Leoni Adriana de Souza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.526873%
Segundo o VII JNC, Hipertensão arterial refratária (HAR) é definida como sendo a elevação persistente dos níveis pressóricos (acima de 140 mmHg) à despeito de tratamento farmacológico tríplice, pleno, incluindo um diurético, em pacientes com boa adesão e sem causas secundárias de hipertensão arterial ou pseudo-hipertensão. Quando exposto aos fatores de risco, como a hipertensão arterial (HA), o endotélio apresenta alterações funcionais denominadas genericamente de disfunção endotelial, onde ocorre principalmente uma menor biodisponibilidade de óxido nítrico (NO) e de substâncias vasodilatadoras ou uma maior produção de substâncias vasoconstritoras. O objetivo deste trabalho foi avaliar a função do endotélio vascular no leito venoso e arterial em pacientes com HAR. Após a triagem e adesão rigorosa, os 86 pacientes foram seqüencialmente incluídos no estudo, dos quais 33 foram caracterizados como hipertensos resistentes (HAR), 50,7±8,5 anos, 28 pacientes como hipertensos controlados (HA), 54,9±12,0 anos e 25 normotensos controle (NT), 35,8±12,1anos. Todos os grupos foram submetidos ao exame da função endotelial venosa pela técnica da veia dorsal da mão (DHVT), do endotélio arterial pela vasodilatação mediada pelo fluxo (VMF) e velocidade de onda de pulso (VOP). Os principais resultados do presente estudo mostraram: a) diferença estatisticamente significante entre os grupos HAR e NT (p<0...

‣ O endotélio na síndrome metabólica

Bahia,Luciana; Aguiar,Luiz G. K. de; Villela,Nivaldo Ribeiro; Bottino,Daniel; Bouskela,Eliete
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
O endotélio é responsável pela manutenção da homeostase vascular. Em condições fisiológicas, mantém o tônus vascular, o fluxo sangüíneo laminar, a fluidez da membrana plasmática, o equilíbrio entre coagulação e fibrinólise, a inibição da proliferação e da migração celulares e o controle da resposta inflamatória. A disfunção endotelial é definida como uma alteração do relaxamento vascular por diminuição da biodisponibilidade de fatores de relaxamento derivados do endotélio, principalmente o óxido nítrico (NO). Estas respostas vasomotoras anormais ocorrem na presença de inúmeros fatores de risco para a aterosclerose. A síndrome metabólica é considerada um estado de inflamação crônica que se acompanha de disfunção endotelial e ocasiona aumento na incidência de eventos isquêmicos cardiovasculares e elevada mortalidade. Essa revisão abordará o processo fisiológico de regulação da função vascular pelo endotélio, os métodos disponíveis para avaliação in vivo da disfunção endotelial e as terapias capazes de melhorar a função vascular e conseqüentemente minimizar o risco cardiovascular dessa síndrome tão prevalente no nosso meio.

‣ Toxicidade da mitomicina C ao endotélio da córnea de coelhos

Silva,Maria Rosa Bet de Moraes; Gregório,Elisa Aparecida
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
OBJETIVO: Avaliar alterações do endotélio corneano após aplicação de mitomicina C na esclera por meio de microscopia eletrônica de transmissão e de varredura e correlacionar as alterações com tempo, concentração e entre os dois métodos de avaliação. MÉTODOS: Foi avaliado o endotélio corneano dos olhos de 32 coelhos albinos distribuídos em 4 grupos experimentais com 8 coelhos cada um. A mitomicina C foi aplicada sob retalho escleral no olho direito por 5 minutos. Nos grupos G1 e G2 a concentração da mitomicina C foi de 0,5 mg/ml e nos grupos G3 e G4 a concentração foi de 0,2 mg/ml. O exame foi realizado com 15 dias após nos grupos G1 e G3 e com 30 dias nos grupos G2 e G4. Dos 8 animais 4 foram preparados para microscopia eletrônica de transmissão e 4 para microscopia eletrônica de varredura. Os olhos esquerdos de todos animais serviram como controle. RESULTADOS: À microscopia eletrônica de transmissão foram observadas alterações do endotélio corneano em todos os grupos experimentais: rarefação do citoplasma, dilatação e fragmentação das cisternas do retículo endoplasmático rugoso, aparelhos de Golgi com dilatação das cisternas, redução de vacúolos e irregularidades da membrana celular interna sendo mais intensas em G1 e G2. À microscopia eletrônica de varredura foram observadas alterações em todos grupos experimentais...

‣ Efeito dos ácidos graxos ômega-3 sobre o relaxamento-dependente do endotélio em coelhos hipercolesterolêmicos

Ribeiro Jorge,Paulo Afonso; Neyra,Lidia Cruz; Ozaki,Regina Michico; Almeida,Eros de
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1997 Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
OBJETIVO: Estudar o efeito dos ácidos graxos ômega-3 sobre o relaxamento-dependente do endotélio, o colesterol plasmático, as LDL, VLDL, HDL, triglicérides e a peroxidação lipídica das partículas de LDL-nativas, oxidadas e da parede arterial. MÉTODOS: Coelhos da raça Nova Zelândia foram submetidos a dieta enriquecida com colesterol (0,5%) e gordura de coco (2%), por 30 dias e separados em grupo hipercolesterolemia (H) e ômega-3 (O-3), sendo administrado ao O-3 ácidos graxos ômega-3 na dose de 300mg/kg/dia, durante 15 dias, através de gavagem. O colesterol plasmático, triglicérides, LDL-colesterol, VLDL e HDL-colesterol foram medidos através de kits enzimáticos e os resultados expressos em mg/dl. As LDL foram obtidas por ultracentrifugação e oxidadas através da exposição ao Cu++. A peroxidação lipídica das LDL e da parede da aorta foi mensurada pela dosagem do malondialdeido (MDA). A função endotelial foi avaliada por curvas de concentração-efeito obtidas pela acetilcolina e nitroprussiato, após contração com norepinefrina. RESULTADOS: Houve aumento do colesterol plasmático e das VLDL, sem interferência nos níveis de LDL e HDL, no O-3. Observou-se redução significante dos triglicérides. Verificou-se aumento significante do teor de MDA nas LDL-nativas e oxidadas...

‣ Amiodarona causa vasodilatação dependente do endotélio em artérias coronárias caninas

Rodrigues,Alfredo José; Evora,Paulo Roberto Barbosa; Maruo,Ayako; Schaff,Hartzell V.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
OBJETIVO: Avaliar os efeitos vasodilatadores da amiodarona em artérias coronárias caninas empregando soluções de amiodarona dissolvida em polisorbato 80 ou em água. MÉTODOS: Anéis de artéria coronária, com e sem o endotélio íntegro, foram imersos em solução de krebs e conectadas a um transdutor para aferição de força isométrica promovida por contração vascular. As artérias foram expostas a concentrações crescentes de polisorbato 80, amiodarona dissolvida em água, amiodarona dissolvida em polisorbato 80 e uma apresentação comercial da amiodarona (Cordarone®). Os experimentos foram conduzidos na presença e na ausência dos seguintes bloqueadores enzimáticos: apenas indometacina, Nômega-nitro-L-arginina associada à indometacina e apenas Nômega-nitro-L-arginina. RESULTADOS: O polisorbato 80 causou pequeno relaxamento não dependente do endotélio. O Cordarone®, a amiodarona dissolvida em água e em polisorbato 80 promoveram relaxamento dependente do endotélio, que foi de maior magnitude para a amiodarona dissolvida em polisorbato e para o Cordarone®. Apenas a associação de indometacina com a Nômega-nitro-L-arginina foi capaz de abolir o relaxamento dependente do endotélio provocado pela amiodarona dissolvida em polisorbato 80. CONCLUSÃO: Os resultados obtidos indicam que a vasodilatação promovida pela amiodarona em artérias coronárias caninas é causada principalmente pela estimulação da liberação de óxido nítrico e fatores endoteliais relaxantes dependentes das ciclo-oxigenases.

‣ Impacto dos stents e do sirolimus por via oral na vasomotilidade coronariana dependente e independente do endotelio

Fernandes,Rósley Weber Alvarenga; Dantas,João Miguel; Oliveira,Dinaldo Cavalcanti; Bezerra,Hiram Grando; Brito Jr.,Fabio Sandoli; Lima,Valter C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.177%
FUNDAMENTO: Não há consenso sobre o impacto do implante de stent sobre a função endotelial no longo prazo. Há relatos de disfunção endotelial aumentada com stent com sirolimus quando comparado com o stent metálico convencional (BMS). OBJETIVO: Este estudo visa a avaliar o impacto do BMS e o efeito do sirolimus por via oral sobre a função endotelial. MÉTODOS: Quarenta e cinco pacientes foram randomizados em três grupos: BMS + altas doses de sirolimus oral (dose inicial de 15 mg, seguida de 6 mg/dia durante quatro semanas); BMS + baixa dose de sirolimus (6 mg, seguida de 2 mg por dia durante quatro semanas) e BMS sem sirolimus. Mudanças na vasoconstrição ou vasodilatação, em um segmento de 15 milímetros começando pelo extremo distal do stent em resposta a acetilcolina e nitroglicerina, foram avaliadas por angiografia quantitativa. RESULTADOS: Os grupos apresentaram características angiográficas semelhantes. A variação percentual de diâmetro em resposta a acetilcolina foi semelhante em todos os grupos, nos dois momentos (p = 0,469). Quatro horas após o implante de stent, o segmento alvo apresentou uma disfunção endotelial que se manteve após oito meses em todos os grupos. Em todos os grupos, a vasomotricidade independente de endotélio em resposta a nitroglicerina foi semelhante...

‣ Expansão ex vivo de endotélio corneano

Moço, Ana Filipa Faim
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.460955%
O estudo do endotélio corneano constitui uma importante plataforma para a evolução do tratamento das endoteliopatias oculares. As disfunções do endotélio corneano são a principal indicação para o transplante de córnea. O número reduzido de córneas disponíveis para transplante, bem como as dificuldades inerentes à quantidade de células e às suas condições de preservação em banco de olhos dificultam o processo de tratamento de doentes com perda de acuidade visual de origem corneana. Apesar dos largos anos de estudo do endotélio corneano, os avanços na compreensão deste tecido e das suas células são ainda restritos, acentuando a importância do seu estudo. Estes assuntos são detalhados no capítulo I no qual é realizada a contextualização teórica deste trabalho. No capítulo II, são descritos os objetivos do estudo exposto nesta dissertação sendo o objetivo primordial a expansão ex vivo das células de endotélio corneano, que se sabe, não apresentarem capacidade proliferativa, in vivo. Deste modo e com base na literatura, os trabalhos precedentes à presente dissertação passaram, inicialmente, pela otimização das condições de cultura celular até se obter um protocolo de cultura reprodutível...

‣ Densidade das células do endotélio corneano em olhos de cães à microscopia especular; Density of corneal endothelial cells in eyes of dogs using specular microscopy;

Pigatto, João Antonio Tadeu; Abib, Fernando Cesar; Pereira, Gener Tadeu; Barros, Paulo Sergio de Moraes; Freire, Cesar Dias; Laus, José Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
Objetivou-se examinar a superfície posterior do endotélio corneano e realizar análise morfométrica das células endoteliais da córnea de olhos normais de cães à microscopia especular. Procedeu-se à morfometria avaliando-se a área celular média e a densidade endotelial. Ambos os olhos de dez cães, sem raça definida, machos ou fêmeas, com 6 anos de idade, com peso médio de 15 kg, eutanasiados por razões não relacionadas a este estudo foram estudados. Os olhos foram avaliados para determinar as condições de higidez e transportados ao laboratório em câmara úmida. Valendo-se de microscópio especular de contato o endotélio corneano foi examinado. Obteve-se 3 imagens da região central de cada córnea. Realizou-se a análise morfométrica valendo-se de software adequado para determinação da área celular média e da densidade endotelial. A área celular média foi 395 ± 36 µm² e a densidade endotelial 2555 ± 240 células/mm². O presente estudo demonstrou que o endotélio de bulbos oculares normais de cães é similar ao endotélio de indivíduos da espécie humana.; The aim of this study was to examine the endothelial surface and to perform a morphometric analysis of the corneal endothelial cells in normal eyes of dogs using specular microscopy. Morphometric analysis with regard mean cell area and cell density was performed. Both eyes of ten mixed-breed...

‣ Análisis morfométrico del endotelio de la córnea tras aplicación intraoperatoria de mitomicina C en la resección simple de pterigión: un estudio piloto

Benítez-Herreros,J.; Pérez-Rico,C.; Montes-Mollón,Mª Á.; Gómez-San-Gil,Y.; Teus-Guezala,M.Á.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
Objetivo: Evaluar el efecto de la mitomicina C (MMC) sobre el endotelio corneal tras cirugía de pterigión. Método: Estudio clínico intervencional y prospectivo con observador enmascarado. Veinte pacientes (20 ojos) con pterigión primario fueron intervenidos mediante resección simple del pterigión y aplicación intraoperatoria de MMC al 0,02% durante 1 minuto. El endotelio corneal fue evaluado pre- y postoperatoriamente a los 10 días, al mes y a los 3 meses, con microscopía especular. La densidad de las células del endotelio corneal, coeficiente de variación del tamaño celular y porcentaje de hexagonalidad celular fueron analizados. Resultados: Las medias de la densidad de células endoteliales antes y a los 3 meses de la cirugía fueron 2.240,37 desviación estándar (DE) 347,92 células/mm² (rango: 1.020 a 2.703) y 2.283,86 DE 425,13 células/mm² (rango: 1.001 a 2.837), respectivamente. Las medias del coeficiente de variación antes y a los 3 meses de la cirugía fueron 32,63 DE 4,65 (rango: 22 a 48) y 33,00 DE 4,75 (rango: 23 a 51), respectivamente. Las medias de los porcentajes de hexagonalidad celular antes y a los 3 meses de la cirugía fueron 54,58 DE 6,60 (rango: 46 a 71) y 55,26 DE 8,89 (rango: 38 a 76), respectivamente. No se encontraron diferencias estadísticamente significativas en las comparaciones con el valor preoperatorio en ninguna de las variables analizadas. Conclusiones: La aplicación intraoperatoria de MMC al 0...

‣ Análisis morfométrico del endotelio corneal tras ranibizumab intravítreo en la degeneración macular asociada a la edad

Benítez-Herreros,J.; Pérez-Rico,C.; Teus,M.A.; Gómez-San Gil,Y.; Castro-Rebollo,M.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/10/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.28234%
Objetivo: Evaluar el efecto de la inyección intravítrea de 0,5mg ranibizumab sobre el endotelio corneal en pacientes con degeneración macular asociada a la edad (DMAE). Método: Estudio piloto de serie de casos, observacional y prospectivo con observador enmascarado. Veintiséis ojos (26 pacientes) con DMAE fueron evaluados. Todos los pacientes recibieron 1 inyección intravítrea mensual de 0,5mg de ranibizumab durante 3 meses consecutivos. El periodo de seguimiento fue de 6 meses. El endotelio corneal central fue evaluado antes, a los 7 días y a los 6 meses de la primera inyección de ranibizumab con microscopía especular. La densidad de las células endoteliales, coeficiente de variación del tamaño celular y porcentaje de hexagonalidad celular fueron analizados. También fue medido el espesor corneal central. Resultados: No se encontraron diferencias estadísticamente significativas entre los valores preinyección y postinyección a los 7 días y 6 meses de la primera inyección de ranibizumab en las densidades de células endoteliales, coeficientes de variación del tamaño celular y porcentajes de hexagonalidad celular (p>0,5). Tampoco se encontraron modificaciones significativas en el espesor corneal central a lo largo del periodo de seguimiento (p>0...

‣ El endotelio mantiene elevada la capacidad de conducción arterial y reduce la poscarga dinámica ventricular de una manera frecuencia-dependiente

ZóCALO,YANINA; BIA,DANIEL; PESSANA,FRANCO; ARMENTANO,RICARDO; CABRERA-FISCHER,EDMUNDO
Fonte: Revista Uruguaya de Cardiología Publicador: Revista Uruguaya de Cardiología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.358416%
RESUMEN Introducción: Las propiedades geométricas y la viscosidad (V) y elasticidad (E) arteriales son determinantes de la función de conducción (FC) y amortiguamiento arterial (FA), así como del trabajo elástico (W E) y viscoso (W V) desarrollado por el ventrículo durante la eyección (poscarga dinámica externa). Se desconoce el rol endotelial en el control de la V, FC, FA, W E y W V, y resta por establecerse si el endotelio controla la poscarga dinámica de manera frecuencia-dependiente. Objetivo: Caracterizar el rol endotelial en la regulación de la V, FC, FA, W E y W V, y analizar el control endotelial de la poscarga dinámica ante aumentos de frecuencia de estimulación. Material y método: Arterias braquiocefálicas ovinas (n=9) se estudiaron en un simulador circulatorio en condiciones hemodinámicas símil fisiológicas. Se midió flujo, presión y diámetro arterial a 60, 80 y 100 latidos/minuto. Para cada frecuencia se calculó E, V, FC, FA, W E y Wv, antes y luego de remover el endotelio. La adecuada eliminación endotelial se comprobó mediante estudios histológicos. Resultados: La presencia de endotelio permitió mantener reducidos E, V, W E y W V, y elevada la FC (p<0,05). La reducción de los determinantes de la poscarga fue mayor a elevados niveles de frecuencia de estimulación (p<0...