Página 9 dos resultados de 1404 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

‣ Tendências da internação e da mortalidade infantil por diarréia: Brasil, 1995 a 2005; Trends in hospital admission and infant mortality from diarrhea: Brazil, 1995-2005

OLIVEIRA, Thais Cláudia Roma de; LATORRE, Maria do Rosário Dias de Oliveira
Fonte: São Paulo Publicador: São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
68.03977%
OBJETIVO: Analisar a tendência das internações e da mortalidade por diarréia em crianças menores de um ano. MÉTODOS: Foi realizado um estudo ecológico de séries temporais entre 1995 e 2005, para o Brasil e para as capitais dos estados. Foram utilizados dados secundários do Ministério da Saúde, obtidos do Sistema de Informação Hospitalar e do Sistema de Informação sobre Mortalidade. Durante o período de estudo foram registradas 1.505.800 internações e 39.421 mortes por diarréia de crianças menores de um ano de idade. Para as análises das tendências da taxa de internação e de mortalidade foram utilizados modelos de regressão polinomial. RESULTADOS: Houve redução tanto nas internações por diarréia quanto na mortalidade infantil por diarréia no País e em 13 capitais. Oito capitais tiveram queda somente na mortalidade por diarréia, enquanto três apresentaram decréscimo somente nas taxas de internação por diarréia. Na análise conjunta dos indicadores de diarréia e dos indicadores gerais, observou-se que houve decréscimo em todas as séries históricas somente no Brasil e em quatro capitais. CONCLUSÕES: A redução nas taxas de internações e mortalidade por diarréia observada pelas séries temporais podem ser resultado das medidas de prevenção e controle empregadas; OBJECTIVE: To analyze trends in hospitalization and mortality rates for diarrhea in children less than one year old. METHODS: An ecological time-series study...

‣ Evolução da mortalidade infantil no município de São Paulo no período de 2000 a 2007; Infant mortality trend in São Paulo in the period from 2000 to 2007

Silva, Maria Lucia Garcia Moita Marcondes da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
67.943906%
Introdução A mortalidade infantil (MI) no Município de São Paulo (MSP) apresenta queda, principalmente a partir da década de 80, entretanto é possível que existam diferenças regionais importantes entre Subprefeituras uma vez que estas apresentam características sócio-ambientais que podem influenciar neste indicador. Objetivo Descrever e analisar a evolução da MI no período de 2000 a 2007, segundo Subprefeituras do MSP. Métodos Estudo ecológico longitudinal, com 31 unidades de análise (Subprefeituras). Utilizou-se, para a análise estatística, o modelo de regressão linear multinível, considerando-se, como variável resposta, o CMI e oito anos de observação (2000 a 2007). O modelo incluiu variáveis relacionadas aos serviços de saúde. Resultados A queda da MI não ocorre de modo homogêneo entre as Subprefeituras evidenciadas pelas diferentes inclinações das retas e interceptos observados e estimados. Após a análise pelo modelo multinível observou-se redução da MI no período de 18,8% com declínio médio de 0,300/00nv ao ano Pelo modelo, 51% da variabilidade da MI se explica por características contextuais das Subprefeituras. No período de estudo, o CMI aumenta: 0,0560/00nv para cada 1% de aumento na proporção de mães com pré-natal inadequado...

‣ Desafios para caracterização da mortalidade infantil em Cabinda-Angola; Challenges to characterize infant mortality in Cabinda, Angola

Simão, Razão
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
67.943906%
Objetivo: Discutir criticamente, descrever e analisar os dados de óbitos infantis disponibilizados pelos serviços públicos da província de Cabinda-Angola. Método: Foram estudados nascimentos vivos em hospitais da província de Cabinda, e óbitos de menores de um ano de idade, nos anos 2007 e 2008. Como fonte de dados foram utilizados os registrados nos livros de registro dos hospitais municipais, d o hospital provincial e do escritório provincial da OMS de Cabinda. Os dados são contextualizados pela experiência do autor como habitante da região. Resultados: Os resultados deste trabalho mostram que em 2008 morreram mais crianças no primeiro dia de vida (109) que nos 11 meses restantes (97). Contudo, evidencia-se que 200 óbitos (54,64 por cento ) ocorreram em menores de 28 dias de idade em 2007 enquanto que para o mesmo período em 2008 morreram 178 crianças, Quanto às causas básicas de mortes infantis, a malária é destacada como principal causa. Isoladamente a malária responde aproximadamente por uma morte a cada três crianças falecidas. Dentre as doenças evitáveis por vacinação, o tétano responde por cerca de 5 por cento das mortes. Entre as doenças controláveis por saneamento básico, as diarréias ocupam posição de destaque 9...

‣ Mapeamento da mortalidade infantil no Rio Grande do Sul : uma comparação entre as abordagens empírica bayesiana e totalmente bayesiana

Silva, Sabrina Letícia Couto da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
67.943906%
A taxa de mortalidade infantil (TMI) tem sido utilizada como um dos principais indicadores da qualidade de vida de uma população e reflete os níveis de saúde e de desenvolvimento sócio-econômico de uma determinada área, sendo considerado um dos mais importantes indicadores epidemiológicos. A análise da dispersão espacial do risco de ocorrência de um evento para dados agregados usualmente é feita via mapas de taxas de incidência, onde as áreas são sombreadas de acordo com os valores calculados para essa taxa. Um grande problema associado ao uso de taxas, porém, é a alta instabilidade que elas possuem para expressar o risco de eventos raros em regiões de população pequena. Alternativamente, existem os métodos de estatística espacial para mapeamento de doenças, denominados estimação Bayesiana Empírica e também estimação Totalmente Bayesiana, que utilizam informações de toda a região ou da vizinhança para estimar o risco de ocorrência do evento em cada área. O presente trabalho aplica e compara os dois métodos de estimação da TMI nos 496 municípios do Rio Grande do Sul através de dados acumulados entre os anos de 2001 a 2004 (dados disponíveis no DATASUS); aponta as vantagens de utilização dos estimadores Bayesianos em relação à taxa bruta e faz a comparação entre as estimativas obtidas através da modelagem bruta e dos métodos Bayesianos. Ao comparar as estimativas obtidas pelas modelagens Bayesianas com as obtidas pelo cálculo bruto...

‣ Assistência pré-natal na Secretaria de Saúde de São Sepé - RS: impactos na redução da mortalidade infantil

Elwanger, Marcelo Faria
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
67.943906%
O presente trabalho tem como objetivo geral verificar se as estratégias e as ações que foram implementadas na qualificação do serviço de pré-natal foram efetivas, e se serviram para reduzir e consolidar em curva descendente o índice de mortalidade infantil no município de São Sepé. Objetiva também a proposição de novas estratégias e ações para resolução de óbitos residuais. Apresenta também os critérios necessários para a implementação de uma rede de atenção preventiva, obstétrica e neonatal bem como os objetivos da mesma. Para alcançar os objetivos propostos foi realizada uma análise qualitativa de gráficos e tabelas construídos a partir de dados obtidos nos sistemas de informações e bancos de dados do município. Com a realização do trabalho foi possível concluir que com dedicação, técnica, assistência comprometida, perseverança e trabalho em rede é possível qualificar o atendimento de pré-natal, reduzir os índices de mortalidade infantil, com certeza o fortalecimento das redes de atenção são fundamentais para a efetivação e manutenção dos resultados obtidos no trabalho realizado em Políticas Públicas de Saúde.

‣ Informações sobre mortalidade infantil no ambito local : estudo na região noroeste de Campinas de 2000 a 2002

Luciane do Vale Lacerda Castro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2003 Português
Relevância na Pesquisa
67.943906%
A mortalidade infantil continua sendo um problema de saúde pública em todo mundo, principalmente em países em desenvolvimento. Buscam-se estratégias para otimizar as ações, a partir da realidade de cada população, ampliando o olhar para a coletividade e outros fatores que podem estar relacionados, visto que a mortalidade infantil é hoje um dos indicadores mais utilizados para avaliar a qualidade de vida e acesso aos serviços de saúde. Esta pesquisa visa estudar informações disponíveis nos Centros de Saúde (CS) sobre as crianças menores de um ano que foram a óbito de 2000 a 2002, e residiam na região noroeste de Campinas. As informações foram obtidas dos Registros de Declaração de Nascido Vivo (DNV), Relatório semestral de Óbitos, Declaração de Óbito (DO), Prontuário, disponíveis nos centros de saúde da região e analisadas a partir do referencial da Vigilância em Saúde, voltada para identificação e análise da situação de saúde e seus determinantes, através das informações e indicadores atualmente disponíveis. Observou-se que das 99 crianças que foram a óbito no período, 93 dos registros de óbitos e 56 das DNVs encol1travam-se nos CS. Evidenciaram-se que apenas em 14 dos casos, foi possível localizar o prontuário...

‣ Aplicação de data mining na busca de um modelo de prevenção da mortalidade infantil

Oliveira, Ivana Teresinha Corrêa de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: iii, 81 f.| il., tabs., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
68.01729%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.; Os sistemas de informações são instrumentos vitais para estabelecer as políticas voltadas à resolução de problemas de saúde. Nesse contexto, apresentam-se o Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos - SINASC e o Sistema de Informações sobre mortalidade - SIM, que são utilizados como fonte de pesquisas e avaliação epidemiológica e permitem o conhecimento de importantes indicadores de saúde, dentre esses, o coeficiente de mortalidade infantil. O trabalho aplicou técnicas estatísticas, através do Teste do Qui-Quadrado e Data Mining do processo KDD (Knowledge discovery in databases), partindo-se da base de dados do SINASC, no ano de 1996, do município de Florianópolis e da ocorrência ou não de óbito no primeiro ano de vida. O objetivo é detectar as variáveis associadas à essas mortes e gerar regras de classificação que visam traçar o perfil dos recém-nascidos em risco de óbito no primeiro ano de vida. Os resultados revelam a associação estatística das variáveis socioeconômicas e biológicas com óbito; as regras de classificação permitem traçar o perfil dos recém-nascidos que devem receber assistência eficaz e auxiliar o processo de tomada de decisão...

‣ Principais causas básicas da mortalidade infantil no Distrito Federal, Brasil : 1990 a 2000; Underlying cause of infant mortality in Distrito Federal, Brazil : 1990 to 2000

Monteiro, Renata Alves; Schmitz, Bethsáida de Abreu Soares
Fonte: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Publicador: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
68.01729%
OBJETIVOS: caracterizar a tendência da mortalidade infantil no Distrito Federal por causa básica de morte e segundo causas evitáveis entre 1990 e 2000. MÉTODOS: estudo ecológico a partir do total de óbitos infantis e nascimentos ocorridos, utilizando-se os sistemas de informação produzidos pelo Ministério da Saúde. Para avaliação, segundo causa básica de morte, usou-se a Classificação Internacional de Doenças. Para a análise, segundo causas evitáveis, foi utilizado o critério estabelecido pela Fundação SEADE. RESULTADOS: predominaram os óbitos devido a afecções perinatais, seguidos das mortes em decorrência de anomalias congênitas, porém a maior redução ocorreu no coeficiente de mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias. Quando se avalia cada coeficiente em separado, destacam-se, nos óbitos neonatais, aqueles redutíveis por meio de ações de diagnóstico e tratamento precoces e os não evitáveis. Entre as mortes pós-neonatais, destacam-se aquelas também redutíveis por ações precoces de diagnóstico e tratamento e por meio de parcerias com outros setores, como aqueles óbitos por diarréia e infecções respiratórias agudas. CONCLUSÕES: verifica-se a necessidade de intervenção efetiva nas causas de morte e componentes da mortalidade infantil...

‣ Mortalidade infantil por causas evitáveis em uma cidade do Nordeste do Brasil

Nascimento,Suelayne Gonçalves do; Oliveira,Conceição Maria de; Sposito,Verônica; Ferreira,Daniela Karina da Silva; Bonfim,Cristine Vieira do
Fonte: Associação Brasileira de Enfermagem Publicador: Associação Brasileira de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
68.06285%
Estudo de corte transversal que objetivou descrever a ocorrência da mortalidade infantil em Recife (PE) entre 2000 e 2009, segundo causas evitáveis. A população foi composta pelos óbitos infantis de mães residentes na cidade do Recife e a classificação de evitabilidade adotou a Lista de causas de mortes evitáveis por intervenções do Sistema Único de Saúde. Para análise dos dados utilizou-se estatística descritiva. Foi observado decréscimo no coeficiente de mortalidade infantil de 20,4 para 12,1 por 1.000 nascidos vivos. Do total de 3.743 óbitos registrados, 2.861 (76,4%) foram classificados como evitáveis. Destacaram-se os óbitos reduzíveis por adequada atenção à mulher na gestação. A abordagem da evitabilidade auxilia nas discussões relacionadas à organização, qualidade e acesso aos serviços de saúde, bem como na identificação dos óbitos que poderiam ter sido prevenidos ou evitados por uma adequada atenção à saúde materno-infantil.

‣ Variação estacional da mortalidade infantil no município do Salvador, BA, Brasil

Dias,Célia Guimarães Netto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1975 Português
Relevância na Pesquisa
68.01729%
O movimento estacional da mortalidade infantil, neonatal, e pós-neonatal, por grupos de causas no município do Salvador, foi estudado a partir de uma revisão dos óbitos de crianças com menos de um ano de idade no período de 1962 a 1971. Os índices de variação estacional foram estimados utilizando-se o método dos relativos em cadeia ou método dos elos relativos. Os maiores índices estacionais da mortalidade infantil em Salvador ocorreu de um modo geral de fevereiro a julho, isto possivelmente devido às precárias condições de saneamento básico associados a uma maior precipitação pluviométrica neste período, sendo que os mínimos estacionais foram verificados de agosto a novembro.

‣ Peso ao Nascer, classe social e mortalidade infantil em Ribeirão Preto, São Paulo

Almeida,Luis Eduardo A. de; Barbieri,Marco Antônio; Gomes,Uilho Antônio; Reis,Patrícia Maria dos; Chiaratti,Telma M.; Vasconcelos,Valéria; Bettiol,Heloisa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1992 Português
Relevância na Pesquisa
68.03977%
Foi realizado um estudo sobre mortalidade neonatal e pós-neonatal e mortalidade no lº ano de vida de uma coorte de crianças nascidas vivas, de partos hospitalares em Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, cujas mães foram entrevistadas por ocasião do nascimento. Relacionou-se mortalidade com classe social e peso ao nascer. A distribuição desigual da mortalidade mostrou que as classes sociais se comportam como populações distintas, e o peso ao nascer não foi a causa isolada dessa desigualdade. Às classes sociais mais baixas corresponderam maiores taxas de baixo peso ao nascer e coeficientes de mortalidade mais elevados. O estudo da mortalidade infantil, sem levar em conta a classe social, pode mostrar coeficientes que subestimam a magnitude do problema nas camadas mais pobres da população.

‣ Reflexos das políticas de saúde sobre as tendências da mortalidade infantil no Brasil: revisão da literatura sobre a última década

Duarte,Cristina Maria Rabelais
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2007 Português
Relevância na Pesquisa
67.943906%
A mortalidade infantil tem sido considerada um bom indicador das condições de vida. É simples de ser calculada e reflete o estado de saúde da parcela mais vulnerável da população: os menores de um ano. A divulgação de dados oficiais que estimaram uma queda de 31% no indicador pareceu surpreendente num contexto de deterioração dos níveis de crescimento econômico, renda e trabalho e do aumento da taxa de desemprego. Entretanto, a década foi marcada por decisões políticas importantes, especialmente a implantação da Estratégia de Saúde da Família e dos incentivos da NOB-96. Este estudo objetivou avaliar como a literatura nacional analisou o comportamento da mortalidade infantil na década e sua possível associação com as mudanças na organização e financiamento do SUS. Foi realizada uma revisão sistemática de artigos científicos publicados entre 1998 e 2006. Concluiu-se que os estudos produzidos até o momento não possibilitam avaliar com clareza o possível impacto das alterações produzidas na organização e financiamento do SUS. Ficou evidente a necessidade de monitoramento do indicador e a importância dos estudos locais, especialmente nos municípios com informações incipientes.

‣ Impacto das ações de imunização pelo Programa Saúde da Família na mortalidade infantil por doenças evitáveis em Olinda, Pernambuco, Brasil

Guimarães,Tânia Maria Rocha; Alves,João Guilherme Bezerra; Tavares,Márcia Maia Ferreira
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
68.01297%
Este artigo aborda o impacto do Programa Saúde da Família (PSF) na saúde infantil no Município de Olinda, Pernambuco, Brasil, por meio da avaliação da vacinação e mortalidade infantil por causas evitáveis. Realizou-se um estudo de série temporal com os dados dos principais sistemas de informação em saúde, usando-se a análise dos indicadores ex-ante e ex-post da implantação do PSF, em 1995. A variável independente foi o ano de nascimento relacionado com grau de cobertura da população pelo PSF. Analisou-se três períodos: 1990/1994 (anterior), 1995/1996 (implantação: cobertura de 0% a 30%), 1997/2002 (intervenção: cobertura de 38,6% a 54%). A tendência dos indicadores foi analisada pela regressão linear simples, sendo testada a significância pelo teste t. No período de implantação houve aumento de todas as médias das coberturas vacinais (176% BCG, 223% pólio, 52% DPT, 61% sarampo) e redução da mortalidade infantil por causas evitáveis (12,7 óbitos/ano), mesmo não havendo diminuição da pobreza absoluta no município ou aumento das coberturas das redes públicas de saúde nem de esgotamento. A melhoria nos indicadores demonstra a efetividade das ações do PSF no município.

‣ Avaliação da Ação de Vigilância à Morbi-mortalidade Infantil na periferia de Belo Horizonte, Minas Gerais

Goulart,Lúcia M.H.F.; Xavier,César C.; Goulart,Eugênio M.A.; Somarriba,Mercês G.; Almeida,Carolina Godói; Costa,Ana Luísa Dayrell G.
Fonte: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Publicador: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 Português
Relevância na Pesquisa
68.01297%
OBJETIVOS: avaliar a Ação de Vigilância à Morbi-mortalidade Infantil no Centro de Saúde (CS) São Marcos e verificar a associação entre critérios de risco - baixo peso ao nascer (RNBP), mães não escolarizadas e/ou adolescentes - e variáveis como crescimento e aleitamento materno. MÉTODOS: estudo analítico tipo coorte prospectivo. Os recém-nascidos (RN) de risco, nascidos entre janeiro de 1996 a dezembro de 1998, foram observados quanto à utilização do CS após busca ativa, comparando-os com controles. Após 12 meses, verificou-se a sua evolução em relação ao crescimento e duração da amamentação. RESULTADOS: foram identificados 199 RN de risco, os quais apresentaram maior procura do CS. Foram acompanhados 131 riscos e 88 controles. Não houve diferença da duração da amamentação entre os grupos. Ao final do acompanhamento, os RNBP apresentavam menores pesos e comprimentos.(p <0,01). Registraram-se 17 óbitos, a maioria neonatal. O risco relativo de óbito para os RNBP no primeiro ano foi 69,81. CONCLUSÕES: a Ação de Vigilância à Morbi-Mortalidade Infantil representou avanço ao implementar estratégias de identificação, captação e acompanhamento de crianças de risco. Todavia, os esforços devem buscar atuação mais precoce e ampla...

‣ Mortalidade infantil nos últimos quinquênios em Porto Velho, Rondônia – Brasil; Child mortality in the last five-year periods in the city of Porto Velho, RO, Brazil

Moreira, Kátia Fernanda Alves; Oliveira, Tathiane Souza de; Gonçalves, Ticiana Albuquerque; Moura, Cleson de Oliveira; Maluf, Sâmia Nagib; Tavares, Rosalina Semedo de Andrade; Tavares, Carlos Mendes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
68.01729%
Objetivo: Analisar a evolução de mortalidade infantil. Método: Estudo ecológico e descritivo. Utilizaram-se os bancos de dados de óbitos fornecidos pelo Sistema de Informações sobre mortalidade, durante o período de 2006 a 2010. Selecionaram-se apenas os registros em que o município de residência e de ocorrência dos óbitos correspondiam ao município de Porto Velho e os que apresentavam idade menor de 12 meses no momento do óbito. Analisaram apenas os óbitos por causas evitáveis neonatal e pós-neonatal. Resultados: No município de Porto Velho, em período estudado há um predomínio de mães com idade entre 20 a 34 anos, cujos percentuais de óbitos infantis variaram entre 26,0% em 2006 a 29,0% em 2010, com oscilações percentuais nos demais anos. Houve uma tendência crescente de óbitos prematuros, exceto no ano de 2009, cujo percentual foi de 45,0%. Entre os anos de 2006 e 2007 esse percentual manteve-se em 50,0%, aumentou para 53% em 2008 e em 2010 representou 54,0% dos óbitos em menores de 1 ano. Conclusão: A estimativa de incidência de mortalidade infantil foi sempre mais elevada, ao longo do período estudado, do que o valor esperado para o Brasil até 2015.; Objective: To analyze the evolution of child mortality. Methods: A descriptive ecological study was conducted. The database of deaths provided by the Mortality Information System between 2006 and 2010 was used. Only records in which the city of residence and occurrence of deaths corresponded to the city of Porto Velho and whose children were younger than 12 months at the time of death were included in this study. In addition...

‣ Variação estacional da mortalidade infantil no município do Salvador, BA, Brasil; Seasonal variation in infant mortality rates in the City of Salvador, BA, Brazil

Dias, Célia Guimarães Netto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/1975 Português
Relevância na Pesquisa
68.01729%
O movimento estacional da mortalidade infantil, neonatal, e pós-neonatal, por grupos de causas no município do Salvador, foi estudado a partir de uma revisão dos óbitos de crianças com menos de um ano de idade no período de 1962 a 1971. Os índices de variação estacional foram estimados utilizando-se o método dos relativos em cadeia ou método dos elos relativos. Os maiores índices estacionais da mortalidade infantil em Salvador ocorreu de um modo geral de fevereiro a julho, isto possivelmente devido às precárias condições de saneamento básico associados a uma maior precipitação pluviométrica neste período, sendo que os mínimos estacionais foram verificados de agosto a novembro.; The seasonal variation of infant mortality in the city of Salvador was studied regarding the period 1962 to 1971, according to groups of causes, for the neonatal and post-neonatal ages. All death certificates of children less than a year old were revised. Seasonal variation indices were calculated using the method of chain relatives or relatives in chain. The highest seasonal indices of infant mortality in Salvador ocurred in general from February to July. This is possibly due to insatisfactory sanitation in association with increased rainfall during this period. The lowest seasonal indices ocurred from August to December.

‣ Impacto das ações de imunização pelo Programa Saúde da Família na mortalidade infantil por doenças evitáveis em Olinda, Pernambuco, Brasil

Guimarães,Tânia Maria Rocha; Alves,João Guilherme Bezerra; Tavares,Márcia Maia Ferreira
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
68.01297%
Este artigo aborda o impacto do Programa Saúde da Família (PSF) na saúde infantil no Município de Olinda, Pernambuco, Brasil, por meio da avaliação da vacinação e mortalidade infantil por causas evitáveis. Realizou-se um estudo de série temporal com os dados dos principais sistemas de informação em saúde, usando-se a análise dos indicadores ex-ante e ex-post da implantação do PSF, em 1995. A variável independente foi o ano de nascimento relacionado com grau de cobertura da população pelo PSF. Analisou-se três períodos: 1990/1994 (anterior), 1995/1996 (implantação: cobertura de 0% a 30%), 1997/2002 (intervenção: cobertura de 38,6% a 54%). A tendência dos indicadores foi analisada pela regressão linear simples, sendo testada a significância pelo teste t. No período de implantação houve aumento de todas as médias das coberturas vacinais (176% BCG, 223% pólio, 52% DPT, 61% sarampo) e redução da mortalidade infantil por causas evitáveis (12,7 óbitos/ano), mesmo não havendo diminuição da pobreza absoluta no município ou aumento das coberturas das redes públicas de saúde nem de esgotamento. A melhoria nos indicadores demonstra a efetividade das ações do PSF no município.

‣ Variação estacional da mortalidade infantil no município do Salvador, BA, Brasil

Dias,Célia Guimarães Netto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1975 Português
Relevância na Pesquisa
68.01729%
O movimento estacional da mortalidade infantil, neonatal, e pós-neonatal, por grupos de causas no município do Salvador, foi estudado a partir de uma revisão dos óbitos de crianças com menos de um ano de idade no período de 1962 a 1971. Os índices de variação estacional foram estimados utilizando-se o método dos relativos em cadeia ou método dos elos relativos. Os maiores índices estacionais da mortalidade infantil em Salvador ocorreu de um modo geral de fevereiro a julho, isto possivelmente devido às precárias condições de saneamento básico associados a uma maior precipitação pluviométrica neste período, sendo que os mínimos estacionais foram verificados de agosto a novembro.

‣ Tendência de mortalidade infantil na cidade do Salvador (Bahia)

Dias,Celia Guimarães Netto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1975 Português
Relevância na Pesquisa
68.07029%
Revisão das causas de óbito de crianças com menos de um ano de idade no município de Salvador Bahia (Brasil) no período de 1962 a 1971, tendo sido investigada do ponto de vista estatístico, a tendência secular da mortalidade infantil. Para alguns dos dados foi ajustada uma reta pela equação matemática da forma Y = a + bx através do método dos mínimos quadrados, enquanto que para outros ajustou-se uma exponencial modificada do tipo Y = k + ab x. A tendência global da mortalidade infantil no período de 1962 a 1970 é descendente, tendo no entanto se elevado em 1971 atingindo um coeficiente praticamente igual ao alcançado no ano de 1964. Fato semelhante ocorreu com a mortalidade por enterite e outras doenças diarréicas.

‣ Peso ao Nascer, classe social e mortalidade infantil em Ribeirão Preto, São Paulo

Almeida,Luis Eduardo A. de; Barbieri,Marco Antônio; Gomes,Uilho Antônio; Reis,Patrícia Maria dos; Chiaratti,Telma M.; Vasconcelos,Valéria; Bettiol,Heloisa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1992 Português
Relevância na Pesquisa
68.03977%
Foi realizado um estudo sobre mortalidade neonatal e pós-neonatal e mortalidade no lº ano de vida de uma coorte de crianças nascidas vivas, de partos hospitalares em Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil, cujas mães foram entrevistadas por ocasião do nascimento. Relacionou-se mortalidade com classe social e peso ao nascer. A distribuição desigual da mortalidade mostrou que as classes sociais se comportam como populações distintas, e o peso ao nascer não foi a causa isolada dessa desigualdade. Às classes sociais mais baixas corresponderam maiores taxas de baixo peso ao nascer e coeficientes de mortalidade mais elevados. O estudo da mortalidade infantil, sem levar em conta a classe social, pode mostrar coeficientes que subestimam a magnitude do problema nas camadas mais pobres da população.