Página 9 dos resultados de 2060 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

‣ O Uso da Frequência Cardíaca como Meio de Previsão do Risco Cardiovascular

Pereira, Carla Maria Gomes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
47.152793%
Este trabalho teve como objectivo analisar de que modo a frequência cardíaca é um indicador na previsão do risco cardiovascular. O sistema nervoso autónomo controla o sistema cardiovascular, através dos seus dois ramos, o sistema nervoso simpático e o sistema nervoso parassimpático. Estando a frequência cardíaca dependente de influências neurais e hormonais, as alterações na regulação do sistema nervoso autónomo são responsáveis pela variação da frequência cardíaca. Um desequilíbrio no sistema nervoso autónomo poderá patentear sintomas de doença cardiovascular. Com efeito, estudos recentes mostram que a análise do comportamento da frequência cardíaca em situação de repouso, durante o esforço e no período de recuperação, são bons indicadores de diagnóstico e prognostico na previsão do risco cardiovascular; This work aims at analysing in which way the cardiac frequency may be an indicator in the prediction of cardiovascular risk. The autonomous nervous system controls the cardiovascular system through its two branches: the sympathetic nervous system and the parasympathetic nervous system. As the cardiac frequency depends on neural and hormonal factors, the changes in the regulation of the autonomous nervous system are responsible for the variation of the cardiac frequency. An absence of equilibrium in the autonomous nervous system may indicate symptoms of cardiovascular disease. As a matter of fact...

‣ Resistência à insulina em mulheres com síndrome dos ovários policísticos modifica fatores de risco cardiovascular; Cardiovascular risk markers in polycystic ovary syndrome in women with and without insulin resistance

MARTINS, Wellington de Paula; SOARES, Gustavo Mafaldo; VIEIRA, Carolina Sales; REIS, Rosana Maria dos; SÁ, Marcos Felipe Silva de; FERRIANI, Rui Alberto
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.17844%
OBJETIVO: avaliar se a presença de resistência à insulina (RI) modifica fatores de risco cardiovascular em mulheres com síndrome dos ovários policísticos (SOP). MÉTODOS: estudo transversal no qual 60 mulheres com SOP, com idade entre 18 e 35 anos e sem uso de hormônios, foram avaliadas. A RI foi avaliada por meio do quantitative insulin sensitivity check index (QUICKI). RI foi definida como QUICKI <0,33. As seguintes variáveis foram comparadas entre o grupo com e sem RI: antropométricas (peso, altura, circunferência da cintura, pressão arterial e frequência cardíaca), laboratoriais (homocisteína, interleucina-6, fator de necrose tumoral-α, testosterona, fração de androgênios livre, colesterol total e frações, triglicerídeos, proteína C reativa e insulina, glicose) e ultrassonográficas (distensibilidade e espessura íntima-média da carótida e dilatação mediada por fluxo da artéria braquial). RESULTADOS: Dezoito mulheres (30%) apresentaram RI. As mulheres com RI, comparadas às sem RI, apresentaram diferenças significativas nos seguintes marcadores antropométricos (SOP com RI e sem RI respectivamente): índice de massa corporal (35,5±5,6 versus 23,9±4,8 kg/m², p<0,01;), cintura (108,1±11,53 versus 79...

‣ Contracepção hormonal e sistema cardiovascular; Hormonal contraception and cardiovascular system; Contracepción hormonal y sistema cardiovascular

BRITO, Milena Bastos; NOBRE, Fernando; VIEIRA, Carolina Sales
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.152793%
A contracepção hormonal é o método mais utilizado para prevenção de gestações não planejadas. A literatura tem demonstrado associação entre risco cardiovascular e uso de hormonioterapia. A fim de melhorar a orientação contraceptiva para mulheres com fatores de risco para doença cardiovascular, realizamos uma revisão da literatura em relação ao assunto. Esta revisão descreve os dados mais recentes da literatura científica acerca da influência dos contraceptivos hormonais em relação a trombose venosa, arterial e hipertensão arterial sistêmica, doenças cada dia mais prevalentes na população feminina jovem.; Hormonal contraception is the most widely used method to prevent unplanned pregnancies. The literature has shown an association between cardiovascular risk and use of hormone therapy. With the purpose of providing better guidelines on contraception methods for women with risk factors for cardiovascular disease, we have reviewed the literature on the subject. This review describes the latest data from the scientific literature concerning the influence of hormonal contraceptives on arterial thrombosis, venous thrombosis and systemic high blood pressure, which are diseases that have become increasingly prevalent among young females.; La contracepción hormonal es el método más utilizado para la prevención de los embarazos no planificados. La literatura ha venido demostrando la asociación que existe entre el riesgo cardiovascular y el uso de la hormonoterapia. Con el objetivo de mejorar la orientación en la contracepción en mujeres con factores de riesgo para el desarrollo de enfermedad cardiovascular...

‣ Risco de Farmingham e evento cardiovascular em mulheres com síndrome dos ovários policísticos

Santos, Ana Gabriela Pontes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 96 f.
Português
Relevância na Pesquisa
47.17844%
Pós-graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia - FMB; Introduction: Women with polycystic ovary syndrome (PCOS) have an increased prevalence of cardiovascular risk factors. However, most studies available are limited to confirming the association of PCOS with cardiovascular morbidity and mortality. Objectives: To assess the Framingham risk score and the prevalence of cardiovascular events in women with PCOS. Patients and Methods: Clinical, biochemical and ultrasonographic data were collected from women (18-40 years) with and without PCOS attending the Botucatu Medical School Hospital from 1997 to 2010. The Framingham Risk Score (FRS), calculated according to NCEP-ATPIII-2002 criteria, was used to estimate the 10-year risk of first coronary event. The prevalence of major and minor cardiovascular events was obtained through the analysis of medical records, crossing of data, and active search. Statistical analyses were performed using the Chi-square test, Fischer’s exact test and multiple logistic regression adjusted for age and BMI, with significance set at 5%. Results:t A total of 267 women with PCOS and 190 without PCOS were followed up for 1-13 years. Median age was 25 years in women with PCOS, and 29.5 yearsnin those without it (p<0.0001). Women with PCOS had higher prevalence of obesity (p=0.017)...

‣ Definição do ponto de corte do índice de massa corporal para o diagnóstico de obesidade e identificação dos fatores de risco cardiovascular em adolescentes com síndrome de Down; Definition of the body mass index cutoff for obesity diagnosis and identification of the cardiovascular risk factors in adolescents with Down syndrome

Juan Eduardo Samur San Martin
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2015 Português
Relevância na Pesquisa
47.211846%
Estrutura da Tese: Estudo estruturado pelo "modelo Escandinavo", denominado de "modelo alternativo" no Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM ¿ Unicamp). Esta tese está composta por introdução geral, objetivos, capítulos (1 e 2) e conclusão geral. A introdução geral aborda: aspectos sobre a síndrome de Down (SD); da obesidade com temas direcionados à fisiopatologia, tipos, incidência e diagnóstico em crianças e adolescentes; da obesidade na SD; da associação da obesidade com a doença cardiovascular (DCV), como também a avaliação dos fatores de risco cardiovascular em indivíduos com e sem SD. Os capítulos 1 e 2 estão em formato de artigo. Na conclusão geral foram apresentadas as principais conclusões dos dois artigos. As referências bibliográficas foram apresentadas no final de cada capítulo e da tese. Objetivos: Os objetivos do presente estudo são: (1) estimar o ponto de corte do Índice de Massa Corporal (IMC) para o diagnóstico de obesidade em adolescentes com SD de acordo com diferentes referências para classificação do IMC em relação ao percentual de gordura corporal (%GC) avaliado pela absorciometria com raios-X de dupla energia (DXA) e (2) avaliar os fatores de risco cardiovascular em adolescentes com SD e compará-los em relação ao diagnóstico de obesidade estabelecido pelo escore z do IMC da World Health Organization (WHO). Casuística e Métodos: Participaram no primeiro artigo (capítulo 1) 34 adolescentes com SD e no segundo artigo (capítulo 2) 32...

‣ Risco cardiovascular em pessoas assintomáticas

Macário, Teresa Duarte Sousa; Nunes, Maria Madalena Jesus Cunha, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.232646%
Enquadramento: As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte, em ambos os sexos, nos países desenvolvidos, não sendo Portugal exceção. São um problema de saúde pública que urge minorar. Os fatores de risco, conhecidos como causas que aumentam a probabilidade de ocorrência de um determinado evento, antecedem em vários anos as doenças cardiovasculares. Destacam-se a diabetes, o excesso de peso, a obesidade, o sedentarismo, o tabagismo, as dislipidémias, a hipertensão arterial, a idade, o sexo, entre outros. Objetivo: Determinar a existência de fatores de risco cardiovascular numa amostra de pessoas assintomáticas do distrito de Viseu. Métodos: O estudo descritivo e transversal foi realizado numa amostra não probabilística, constituída por 1148 pessoas. O perfil sociodemográfico revelou tratar-se de indivíduos maioritariamente do sexo feminino (57.8%), com cerca de 37 anos e possuindo o ensino secundário (27.4%). O instrumento de colheita de dados sob a forma de Questionário de Risco Cardiovascular permitiu colher dados relativos à caracterização sociodemográfica e clínica, designadamente pressão arterial, glicémia capilar, peso, altura, IMC e perímetro abdominal. Resultados: Constatou-se que 27.6% dos participantes eram hipertensos; 59.3% apresentavam excesso de peso; 1.2% tinham valores de hiperglicemia capilar e 20...

‣ Perfil de risco cardiovascular em amostras de estudantes do ensino secundário da região de Lisboa

Rocha, Teresa Maria Rodrigues, 1978-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
47.211846%
Introdução: As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte, em ambos os sexos, nos países desenvolvidos (≈ 50% na Europa e 32% em Portugal). São um problema de saúde pública que urge minorar. O seu impacto justificou a implementação do Programa Nacional de Prevenção e Controlo das Doenças Cardiovasculares pelo Alto Comissariado da Saúde. Sendo consensual que a promoção da saúde e a prevenção da doença cardiovascular deve começar na infância, a dificuldade é motivar os jovens a optarem por estilos de vida saudáveis, o que depende muito da percepção do seu risco cardiovascular. Objectivos: Relativamente aos estudantes do ensino secundário (15 aos 18 anos) pretendeu-se: a) definir o perfil de risco cardiovascular pela determinação da prevalência de factores de risco e estimativa do risco absoluto e do risco relativo, b) caracterizar os hábitos alimentares e a actividade física e c) avaliar as implicações dos resultados na definição de estratégias de prevenção cardiovascular. Material e Métodos: Estudo transversal que englobou 8 Escolas da Região de Lisboa, (5 públicas, 3 privadas) e um total de 854 estudantes (idade 16,3 ± 0.92 anos), 54% do sexo feminino. Instrumentos de medição: sistema de tecnologia Accu-Chek e Accutrend...

‣ Fisioterapia na doença de Parkinson : casuística do Centro Hospitalar Cova da Beira

Pinto, Bruno Miguel Soares Nascimento
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.137695%
Os pacientes com doença de Parkinson enfrentam ao longo da sua doença, problemas crescentes de défice de mobilização. Estes levam frequentemente a perda de independência, quedas, acidentes e inactividade levando ao isolamento social e aumento do risco de osteoporose e doença cardiovascular. Estimados em 20 mil os portadores da doença de Parkinson em Portugal, é importante encontrar alternativas que permitam o complemento da terapêutica farmacológica que traz consigo efeitos adversos significativos. Existe alguma evidência dos benefícios da fisioterapia a nível de melhoria de manutenção da marcha, qualidade de vida e atividades de vida diária mas sem repercussões a nível neurológico. No Centro Hospitalar Cova da Beira, apenas um número reduzido de pacientes com DP beneficia de terapia física de reabilitação. Apesar da existência de literatura sobre o tema, os benefícios são ainda pouco evidentes, o que contribui para uma baixa referenciação por parte da Neurologia e dos Cuidados Primários assim como conhecimento por parte dos utentes ou familiares.

‣ Pré-diabetes: diagnóstico, avaliação de complicações crônicas e tratamento

Souza,Camila Furtado de; Gross,Jorge Luiz; Gerchman,Fernando; Leitão,Cristiane Bauermann
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.15355%
O diabetes melito do tipo 2 (DM2) é responsável por 90% dos casos de diabetes e está associado a complicações micro e macrovasculares de elevada morbimortalidade. Os indivíduos com maior risco de desenvolvimento de DM incluem aqueles com glicemia de jejum alterada (GJA) e tolerância diminuída à glicose (TDG) e especialmente aqueles com as duas condições combinadas. Esses indivíduos fazem parte de um grupo hoje conhecido como pré-diabetes. Aproximadamente 25% dos indivíduos com pré-diabetes desenvolverão DM2 em três a cinco anos. A hiperglicemia, na ausência de DM, também foi associada ao aumento no risco de doença cardiovascular. Estudos demonstraram que mudanças no estilo de vida e intervenções medicamentosas são efetivas em retardar ou prevenir o DM2 em pacientes com pré-diabetes. GJA e TDG estão associadas ao desenvolvimento de DM2 e, apesar das controvérsias, a maioria dos estudos epidemiológicos reforça a importância dessas duas condições também no desenvolvimento de doença micro e macrovascular. Assim, intervenções em pacientes com pré-diabetes são importantes na prevenção primária do DM2 e de suas complicações crônicas.

‣ Prevenção cardiovascular abrangente em pacientes com doença arterial coronária: implementação das diretrizes na prática clínica

Brasil,Clarisse Kaoru Ogawa Indio do; Avezum Junior,Álvaro; Uint,Luciana; Monaco,Maria Isabel Del; Barros,Valéria Mozetic de; Campos,Soraia Youssef Rachid; Sousa,Amanda M. R.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.15355%
OBJETIVO: Demonstrar a eficácia de um programa de otimização da prática clínica em pacientes com doença arterial coronária para prescrição de medicamentos e documentar a prática clínica vigente quanto aos medicamentos e medidas para a mudança do estilo de vida. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, seguido de componente longitudinal. Foram incluídos 710 pacientes consecutivos (Fase 1). Após aplicação de ferramentas para melhoria da prática clínica, foram incluídos, após seis meses, 705 pacientes com coleta dos mesmos dados (Fase 2). Foram selecionados aleatoriamente, a partir do primeiro grupo, 318 prontuários para comparação desses mesmos pacientes (Fase 3). RESULTADOS: Comparação entre as Fases 1 e 2: melhora em relação a tabagismo (P=0,019), dislipidemia (P<0,001), hipertensão arterial e atividade física regular (P<0,001). Diferença significativa para inibidores da enzima de conversão da angiotensina - IECA (67,2% vs. 56,8%, P<0,001); antagonistas do receptor da angiotensina II - ARA II (25,4% vs. 32,9%, P=0,002) e betabloqueador (88,7% vs. 91,9%, P=0,047). Comparação entre as Fases 1 e 3: houve redução do peso (P=0,044) e pressão arterial (P<0,001). Em relação à prescrição de medicamentos recomendados...

‣ Análise comparativa entre dois programas de prevenção e reabilitação cardiovascular

Ramos,José Henrique; Silva,Osni Jacó da
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1998 Português
Relevância na Pesquisa
47.14888%
Este estudo foi realizado para investigar os procedimentos metodológicos empregados por dois Programas de Prevenção e Reabilitação Cardiovascular (PPRC), que atuam na fase III e IV, em Florianópolis. O objetivo básico do estudo foi investigar as diferenças de metodologia proposta pelos programas. Procurou-se identificar se eles possibilitam a auto-suficiência/independência de seus pacientes. Houve observação sistemática e entrevista com os responsáveis pelos programas. As conclusões foram de que existem pequenas diferenças na metodologia empregada entre os dois programas, tais como a duração e as fases da sessão e a intensidade do estímulo. Apenas um dos programas estimula a auto-suficiência/independência dos pacientes quanto à continuidade dos exercícios físicos.

‣ Prevalência da doença arterial obstrutiva periférica em doentes com insuficiência renal crônica

Aragão,José Aderval; Reis,Francisco Prado; Borges Neto,Roberto Ribeiro; Aragão,Marina Elizabeth Cavalcanti de Sant’Anna; Nunes,Marco Antonio Prado; Feitosa,Vera Lúcia Corrêa
Fonte: Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) Publicador: Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
47.15857%
Contexto: A doença arterial obstrutiva periférica tem sido reconhecida como um sensível marcador de aterosclerose sistêmica e preditora de eventos cardiovasculares. Apesar da alta prevalência da doença cardiovascular, há poucos estudos sobre a doença arterial obstrutiva periférica em pacientes com insuficiência renal crônica em tratamento hemodialítico. Objetivo: Determinar a prevalência de doença arterial obstrutiva periférica em pacientes com insuficiência renal crônica em uma clínica de referência para tratamento hemodialítico no estado de Sergipe. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, realizado no período de junho a novembro de 2008, em uma clínica de referência para tratamento de pacientes com insuficiência renal crônica. Foram caracterizados como portadores de doença arterial obstrutiva periférica os pacientes que apresentavam índice tornozelo-braquial (ITB) ≤ 0,9. Resultados: De uma população de 239 pacientes com insuficiência renal crônica, foram avaliados 201. Destes, 28 (14%) apresentavam insuficiência arterial periférica com ITB ≤ 0,9. A idade variou de 24 a 82 anos, com média de 52 anos. A hipertensão e a dislipidemia foram os fatores de risco mais frequentes. Dos pacientes com doença arterial obstrutiva periférica...

‣ Qualidade de vida na doença arterial coronariana

Silva, Viviane Cristina Vieira da; Oliveira, Dinaldo Cavalcanti de (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
47.137695%
Introdução: A Doença Arterial Coronariana caracteriza-se pela insuficiência de irrigação sanguínea no coração por meio das artérias coronárias. Está diretamente relacionada ao grau de obstrução do fluxo sanguíneo pelas placas ateroscleróticas, resultando em estreitamento das artérias coronárias (estenose), o qual, devido à redução do fluxo sanguíneo coronariano, diminui a chegada do oxigênio ao coração. É primordial conhecer a qualidade de vida na população acometida por esta doença cardiovascular coletando dados e indicadores para a adequada condução, tratamento e elaboração de políticas públicas. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de pacientes com Doença Arterial Coronariana Crônica; identificar os domínios de Qualidade de Vida afetados pela Doença arterial coronariana. Métodos: O estudo do tipo transversal, prospectivo e analítico com abordagem quantitativa e qualitativa realizada no ambulatório de Cardiologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba. A amostragem constituída foi por conveniência entre os meses de abril a dezembro de 2013, tipo registro de mundo real. Os dados obtidos foram manipulados no Microsoft Excel® 2010 e SPSS 18.0v. Para avaliar o perfil sociodemográfico e clínico dos pacientes do estudo foram calculadas as frequências percentuais e construídas as respectivas distribuições; o escore de qualidade de vida do SF-36 e do WHOQOL-bref foram calculadas as estatísticas: mínimo...

‣ Efeito da natação e do basquetebol em cadeira de rodas sobre o colesterol HDL: uma investigação em indivíduos com lesão medular

Rodrigues, Fábio Barreto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
47.14888%
Despite the observation of an increase in life expectancy in individuals with Spinal cord injury (SCI), it is lower than that of the general population. Studies have shown that affected individuals have a sedentary lifestyle that reflects negatively on health and quality of life. Studies have demonstrated that HDL cholesterol (HDL-C) levels, a high-density lipoprotein and important predictor of cardiovascular disease, are lower in this population exposing these people to a greater incidence of heart disease from atherosclerotic process In the general population, exercise increases HDL-C serum levels, but this phenomenon is not very clear in people with spinal cord injury (SCI). The present study examined the effect of both swimming and wheelchair basketball in the lipid profile of eleven men and seven women with SCI. The subjects included in regular exercise programs showed increases in HDL-C levels and decreases in CT/HDL-C and LDL-C/HDL-C ratios. We found better results mainly in men with lower levels of SCI and in those that sustained exercise intensities above 60% of the heart rate reserve. The duration of training sessions can be an essential factor in these results. The results suggest that both the exercise prescription and the personal characteristics of people with SCI influence changes in the lipid profile mediated through exercise. The elaboration of this work is an attempt to clarify uncertainties about health and the longevity of people with SCI generated in discussion of all members of the interdisciplinary rehabilitation team...

‣ Síndrome metabólica e risco cardiovascular na pós- menopausa: avaliação por diferentes critérios diagnósticos e influência de fatores sócio-econômicos

Silveira, Inavan Lopes da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
47.17844%
The metabolic syndrome (MetS) involves a group of risk factors and is associated with a significantly higher risk of developing cardiovascular diseases (CVD) and type 2 diabetes. Recent studies have shown the importance of preventing CVD through early diagnosis and treatment of patients with MetS. The objective of our study was to determine the prevalence of MetS by different diagnostic criteria in postmenopausal women and analyze the influence of socioeconomic factors on cardiovascular risk in this sample of the population. A cross-sectional study involving 127 postmenopausal women (45 to 64 years) from Natal and Mossoró, Brazil. The study was approved by the Research Ethics Committee of the Federal University of Rio Grande do Norte. The experimental protocol consisted of applying structured interview, clinical examination and implementation of dosages blood. The diagnosis of MetS was based on NCEP-ATP III (National Cholesterol Education Program-Adult Treatment Panel III) and IDF (International Diabetes Federation) criteria. The research was accomplished with the participation of an interdisciplinary team in their several phases. The result of the sample studied had mean age of 53.9 ± 4.6 years and per capita income of 54.5 dollars. The prevalence of MetS...

‣ Avaliação do risco cardiovascular numa população da zona Norte do País

Amorim, Maria Manuela
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Educação do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Educação do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.16667%
As doenças cardiovasculares lideram as causas de mortalidade no mundo e em Portugal. Alguns dos fatores de risco (FR) associados são sexo masculino, idade avançada, hipertensão arterial, hipercolesteremia, tabagismo, obesidade e sedentarismo, cuja sinergia amplifica o risco cardiovascular. Realizou-se um rastreio em indivíduos da região norte de Portugal, com o objetivo de determinar, pela tabela derivada do projeto SCORE, o Risco Cardiovascular Absoluto e o Risco Cardiovascular Relativo e Risco Cardiovascular Absoluto Projetado aos 60 anos. Verificou-se a presença de vários FR na amostra em estudo. A avaliação do risco permite estimar a interação de FR individuais, fundamentando a definição de estratégias interventivas, com potenciais ganhos em saúde.; Cardiovascular diseases are a major cause of mortality in the world and Portugal. Most common associated risk factors (RF) are male gender, advanced age, hypertension, hypercholesterolemia, smoking, obesity and sedentary habits, whose interaction increases the cardiovascular risk. We conducted a screening in individuals from Northern Portugal, in order to determine the Absolute and Relative Cardiovascular Risks and 60 years old Risk Projection through the table derived from the SCORE project. We observed the presence of various FR in the sample. The cardiovascular risk assessment allows estimating the interaction of individual RF...

‣ Fisioterapia na doença de Parkinson : casuística do Centro Hospitalar Cova da Beira

Pinto, Bruno Miguel Soares Nascimento
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.137695%
Os pacientes com doença de Parkinson enfrentam ao longo da sua doença, problemas crescentes de défice de mobilização. Estes levam frequentemente a perda de independência, quedas, acidentes e inactividade levando ao isolamento social e aumento do risco de osteoporose e doença cardiovascular. Estimados em 20 mil os portadores da doença de Parkinson em Portugal, é importante encontrar alternativas que permitam o complemento da terapêutica farmacológica que traz consigo efeitos adversos significativos. Existe alguma evidência dos benefícios da fisioterapia a nível de melhoria de manutenção da marcha, qualidade de vida e atividades de vida diária mas sem repercussões a nível neurológico. No Centro Hospitalar Cova da Beira, apenas um número reduzido de pacientes com DP beneficia de terapia física de reabilitação. Apesar da existência de literatura sobre o tema, os benefícios são ainda pouco evidentes, o que contribui para uma baixa referenciação por parte da Neurologia e dos Cuidados Primários assim como conhecimento por parte dos utentes ou familiares.

‣ The hyperhomocysteinemia as a cardiovascular risk factor: actual perspectives; A hiperhomocisteinemia como fator de risco cardiovascular: perspectivas atuais

Lopes, Sérgio Luiz Brasileiro; Lopes, Heloísa Helena Maia Christovam; Vannucchi, Hélio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 19/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
47.16667%
    A homocisteína, uma intermediária do metabolismo da metionina, é considerada, de forma ainda não consensual, como um fator de risco independente para cardiopatia isquêmica. Objetivando revisar a literatura, realizamos uma pesquisa bibliográfica acerca da associação entre a hiperhomocisteinemia e o risco cardiovascular. Conclusivamente, a hiperhomocisteinemia determina uma maior homocisteinilação protéica e molecular de LDL, induzindo o surgimento de auto-anticorpos específicos anti-proteína homocisteinilada, e o aumento dos níveis circulantes de LDL oxidada, com consequente incremento da propensão à ateromatose vascular. Essa associação parece depender, intrinsecamente, dos níveis séricos de dois importantes co-fatores envolvidos diretamente em seu metabolismo, o ácido fólico e a cobalamina. Indivíduos portadores de hiperhomocisteinemia têm reduzidos o risco cardiovascular e a mortalidade global se suplementados com esses co-fatores. Entretanto, essa ação benéfica parece estar restrita aos indivíduos que utilizam essas vitaminas como forma de prevenção primária, uma vez que, nos portadores de coronariopatia aterosclerótica sua utilização não conseguiu, na maioria dos estudos, minimizar a incidência de eventos isquêmicos ou a taxa de óbitos. Conclui-se que a hiperhomocisteinemia é um fator de risco independente para doença cardiovascular aterosclerótica...

‣ Doença periodontal como fator de risco para doenças sistêmicas: parte I - bacteriemia, endocardite infecciosa e doença cardiovascular

Zanotti, Lenize; Medeiros, Urubatan
Fonte: Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde/Brazilian Journal of Health Research Publicador: Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde/Brazilian Journal of Health Research
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2015 Português
Relevância na Pesquisa
47.15355%
Fator de risco, bacteriemia; Endocartite infecciosa; Doença cardiovascular.

‣ Carga da doença atribuível ao tabagismo em Portugal

Borges,Margarida; Gouveia,Miguel; Costa,João; Pinheiro,Luís dos Santos; Paulo,Sérgio; Carneiro,António Vaz
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2009 Português
Relevância na Pesquisa
47.212666%
A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou no seu relatório de 2002 que cerca de 14% da larga da doença nos países mais ricos seja atribuível ao consumo de produtos de tabaco. As doenças mais relacionadas com o consumo de tabaco incluem um conjunto de doenças cardiovasculares, neoplasias e doenças respiratórias. Este artigo estima a carga da doença atribuível ao tabaco em Portugal, tomando como base os dados das estatísticas demográficas e de saúde disponíveis para Portugal em 2005. A conclusão final da analise e que 11,7% das mortes em Portugal se podem atribuir ao consumo de tabaco. Se medirmos a carga da doença através dos anos de vida ajustados por incapacidade - disability adjusted life years (DALY) gerados pela mortalidade, as proporção da carga da doença atribuível ao tabaco e 11,2%. A divisão entre sexos e muito desigual, já que 15,4% da carga da doença masculina e 17,7% das mortes são atribuíveis ao tabaco, mas apenas 4,9% da carga da doença feminina e 5,2% das mortes. Estes números para a mortalidade atribuível são mais elevados do que as estimativas anteriormente disponíveis para Portugal (Peto et al. 2006), as quais apontavam para 14% das mortes masculinas e apenas 0,9% das femininas. O artigo apresenta estimativas sobre a carga da doença redutível...