Página 11 dos resultados de 2060 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

‣ Estudo de perfusão e viabilidade miocárdicas por ressonância magnética em pacientes com doença renal crônica candidatos a transplante renal; Assessment of myocardial perfusion and viability using cardiovascular magnetic resonance in patients with end-stage renal disease

Andrade, Joalbo Matos de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/08/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.870708%
INTRODUÇÃO: A incidência de doença arterial coronária em candidatos a transplante renal é alta, sendo a principal causa de mortes neste grupo de pacientes. Os resultados obtidos com exames não invasivos usados na detecção de doença arterial coronariana destes pacientes têm-se mostrado variados e, de modo geral, insatisfatórios para uma condição clínica considerada grave. A ressonância magnética cardiovascular é utilizada cada vez mais no estudo de doença arterial coronária na população geral, apresentando bons resultados na identificação de isquemia e de fibrose miocárdica. Entretanto, este método, até o momento, não foi avaliado neste grupo de pacientes. O objetivo deste trabalho é avaliar a capacidade da ressonância magnética cardíaca em detectar doença arterial coronária em candidatos a transplante renal sob dois diferentes aspectos: diagnóstico de lesão coronariana significativa (redução do diâmetro luminal maior ou igual a 70%), avaliada pela alteração da perfusão miocárdica, comparando os resultados com a cintilografia e tendo a angiografia coronária como padrão de referência; e detecção de infarto miocárdico silencioso, comparando com a eletrocardiografia e cintilografia, tendo a ressonância magnética cardiovascular com a técnica de realce tardio como padrão de referência. MÉTODOS: Durante o período de janeiro de 2002 e janeiro de 2004 foram estudados 80 candidatos a transplante renal que apresentavam ao menos um dos seguintes critérios de inclusão: 1. idade igual ou acima de 50 anos; 2. diabete melito; 3. história ou evidência clínica de doença cardiovascular. Todos os pacientes foram encaminhados para serem submetidos a exames de eletrocardiografia...

‣ Impacto econômico dos casos de doença cardiovascular grave no Brasil : uma estimativa baseada em dados secundários; Economic burden of severe cardiovascular diseases in Brazil : an estimate based on secondary data

Foppa, Murilo; Azambuja, Maria Ines Reinert; Achutti, Aloyzio Cechella; Maranhão, Mário Fernando de Camargo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
Fundamento: Há escassez de dados no Brasil para subsidiar a crescente preocupação sobre o impacto econômico das doenças cardiovasculares (DCV). Objetivo: Estimar os custos referentes aos casos de DCV grave no Brasil. Métodos: O número de casos de DCV grave foi estimado a partir das taxas de letalidade e mortalidade dos pacientes hospitalizados. Estudos observacionais e bancos de dados nacionais foram utilizados para estimar os custos referentes à hospitalização, atendimento ambulatorial e benefícios pagos pela previdência. A perda da renda foi estimada com base nos dados do estudo de Carga de Doenças no Brasil. Resultados: Aproximadamente dois milhões de casos de DCV grave foram relatados em 2004 no Brasil, representando 5,2% da população acima de 35 anos de idade. O custo anual foi de, pelo menos, R$ 30,8 bilhões (36,4% para a saúde, 8,4% para o seguro social e reembolso por empregadores e 55,2% como resultado da perda de produtividade), correspondendo a R$ 500,00 per capita (para a população de 35 anos e acima) e R$ 9.640,00 por paciente. Somente nesse subgrupo, os custos diretos em saúde corresponderam por 8% do gasto total do país com saúde e 0,52% do PIB (R$ 1.767 bilhões = 602 bilhões de dólares), o que corresponde a uma média anual de R$ 182...

‣ Estudo de prevalência e multiplicidade de fatores de risco cardiovascular em hipertensos do município de Brusque/SC

Rosini, Nilton
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
46.870635%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Farmácia; No Brasil, à semelhança do que ocorre em outros países do Ocidente, de acordo com os dados do Datasus, cerca de um terço do total de óbitos da população adulta decorre das alterações cardiovasculares (DCV). Esse elevado índice de mortalidade por DCV aponta para a necessidade de maior conscientização e sensibilização da população em geral, dos profissionais e das autoridades da saúde, sobre o alto risco e a necessidade de uma adequada prevenção. O conhecimento dos fatores de risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares cada vez mais se torna necessário para que, de forma profissional, sejam controlados, prevenindo eventos deletérios futuros. O estudo reuniu um grupo de pacientes, cadastrados no Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus - HIPERDIA/MS da Secretaria Municipal de Saúde de Brusque/SC, portadores de três fatores de risco para DCV: hipertensão, tabagismo, e histórico familiar para doença cardiovascular. Esse grupo foi submetido a exames laboratoriais (glicose, colesterol total, triacilglicerol, HDL-C, LDL-C...

‣ Tendência da mortalidade por doença cerebrovascular no Estado de São Paulo: 1970 a 1989

Lotufo,Paulo Andrade; Lolio,Cecília Amaro de
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/1993 Português
Relevância na Pesquisa
46.97391%
OBJETIVO: estudo descritivo da mortalidade proporcional e por coeficientes da doença cerebrovascular (DCbV) na população adulta (20 anos e mais) do Estado de São Paulo. CASUÍSTICA E MÉTODO: a fonte dos dados foi representada pelas tabulações de óbito codificadas pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (FSEADE); os dadoa de população foram obtidos dos Censos Demográficos do Brasil de 1970, 1980 e 1991; em todas as séries foi calculada a redução anual dos coeficientes de óbito obtidos nas curvas de regressão. RESULTADOS: a proporção de óbitos por DCbV na mortalidade geral apresentou queda no sexo masculino (M) (- 11,40%) e aumento no sexo feminino (F) (+7,58%); no conjunto das doenças cardiovasculares, apresentou aumento em ambos os sexos, +8,65% (M) e +3,12% (F); os coeficientes de mortalidade ajustados por idade para DCbV apresentaram declínio anual de 1,19% (M) e 1,76% (F) entre 1970 e 1989; as faixas etárias que mais se beneficiaram com o declínio foram as com 60 anos e mais entre os homens e 40 anos e mais entre as mulheres; a Razão de Sobre-mortalidade Masculina apresentou aumento significativo durante o período estudado (22% em 1970 para 45% em 1989), principalmente devido à faixa dos 50-59 anos (36% em 1970 para 69% em 1989). CONCLUSÃO: a queda dos coeficientes por DCbV poderia ser motivada pela maior detecção e controle da hipertensão arterial; outros fatores...

‣ Disfunção endotelial venosa em pacientes com doença de Chagas sem insuficiência cardíaca

Plentz,Rodrigo Della Méa; Irigoyen,Maria Claudia; Muller,Andreia Simone; Casarini,Dulce Elena; Rubira,Marcelo Custodio; Moreno Junior,Heitor; Mady,Charles; Ianni,Bárbara Maria; Krieger,Eduardo Moacir; Consolim-Colombo,Fernanda
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
46.97391%
OBJETIVO: Analisar a função endotelial venosa em pacientes chagásicos sem insuficiência cardíaca. MÉTODOS: O grupo Chagas (G1) foi composto por quatorze mulheres e dois homens com idade de 46 ± 2,7 anos, e o grupo controle (G0), por sete mulheres e um homem, pareados em idade, peso, altura. A Técnica de Complacência da Veia Dorsal da Mão foi utilizada para avaliação da função endotelial venosa. Foram infundidas doses crescentes de fenilefrina para se obter pré-constrição de 70% do basal; a seguir, foram administradas acetilcolina e nitroprussiato de sódio para avaliar as respostas de venodilatação, respectivamente, dependentes e independentes do endotélio. RESULTADOS: Não houve variação entre os valores hemodinâmicos nos grupos durante o experimento. A dose média de fenilefrina necessária para pré-constrição da veia foi significativamente maior no G1 (1116 ± 668,2 ng/ml), comparada à do G0 (103 ± 28 ng/ml) p = 0,05. A resposta de venodilatação máxima dependente do endotélio foi significativamente menor no grupo G1 (65,5 ± 8%), comparada à do G0 (137 ± 20 %) p = 0,009. Não houve diferença nas respostas de venodilatação independente do endotélio entre os grupos. CONCLUSÃO: Pacientes com doença de Chagas sem insuficiência cardíaca apresentam disfunção endotelial venosa.

‣ Obesidade e doença arterial coronariana: papel da inflamação vascular

Gomes,Fernando; Telo,Daniela F.; Souza,Heraldo P.; Nicolau,José Carlos; Halpern,Alfredo; Serrano Jr,Carlos V.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.97391%
A obesidade vem se tornando uma epidemia global. Cerca de 1,1 bilhões de adultos e 10% das crianças do mundo são atualmente considerados portadores de sobrepeso ou obesos. Classicamente associada a fatores de risco para doença cardiovascular, como diabete melito e hipertensão arterial sistêmica, a obesidade vem sendo cada vez mais encarada como fator de risco independente para doença arterial coronariana (DAC). A aterosclerose coronariana compreende uma série de respostas inflamatórias em nível celular e molecular, cujas reações se encontram mais exacerbadas em pacientes obesos. Antes considerado mero depósito de gordura, o tecido adiposo é visto hoje em dia como órgão endócrino e parácrino ativo, produtor de diversas citocinas inflamatórias, como as adipocinas. Este artigo visa alertar para o grave problema de saúde pública em que a obesidade se tornou nas últimas décadas e correlacionar o processo inflamatório exacerbado nos indivíduos obesos com a maior incidência de DAC nessa população.

‣ Relação de indicadores antropométricos com fatores de risco para doença cardiovascular

Oliveira,Mirele Arruda Michelotto de; Fagundes,Regina Lúcia Martins; Moreira,Emília Addison Machado; Trindade,Erasmo Benício Santos de Moraes; Carvalho,Tales de
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
47.007803%
FUNDAMENTO: Estudos têm sido realizados para identificar o melhor preditor antropométrico de doenças crônicas em diferentes populações. OBJETIVO: Verificar a relação entre medidas antropométricas e fatores de risco (perfil lipídico e pressão arterial) para doenças cardiovasculares. MÉTODOS: Estudo transversal com 180 homens e 120 mulheres, idade média de 39,6±10,6 anos. Avaliou-se: índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), percentual de gordura corporal (%GC), relação cintura quadril (RCQ), perfil lipídico, glicemia e pressão arterial. RESULTADOS: IMC, CC e RCQ foram maiores nos homens e %GC nas mulheres (p<0,001). A proporção de casos alterados de RCQ e %GC em relação a LDL-c e CT foi maior no sexo masculino. Indivíduos normais para CC tiveram alteração para LDL-c, CT e HDL-c. Houve correlação entre IMC e CC (homens: r=0,97 e mulheres: r=0,95; p<0,001). Nos homens a melhor correlação (p<0,001) foi entre CC e RCQ (r=0,82) e nas mulheres %GC e CC (r=0,80). Triglicerídeos (TG) teve correlação com RCQ (masculino: r=0,992; feminino: r= 0,95; p<0,001), e com CC (masculino: r=0,82; feminino: r=0,79; p<0,001). Na análise múltipla (Razão de prevalência - RP, Intervalo de Confiança - IC)...

‣ Plastia valvar mitral na doença cardíaca reumática e degeneração mixomatosa: estudo comparativo

PROVENZANO JUNIOR,Sylvio Carvalho; SÁ,Mauro Paes Leme de; BASTOS,Eduardo Sérgio; AZEVEDO,José Augusto Pereira de; MURAD,Henrique; GOMES,Eliane Carvalho; PALHARES,Márcia Salgado
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 Português
Relevância na Pesquisa
46.97391%
INTRODUÇÃO: No Brasil, a maioria das intervenções na valva mitral são devidas à doença cardíaca reumática (DR). Algumas vantagens da plastia mitral em relação à troca valvar são menor mortalidade operatória e tardia, manutenção da geometria e função ventricular esquerda e menor número de eventos relacionados à valva. A evolução da DR, porém, interfere negativamente nos resultados de reconstrução. OBJETIVO: Este trabalho tem como objetivo analisar os resultados da plastia mitral na correção da insuficiência mitral pura em pacientes com DR, tendo como referência pacientes com degeneração mixomatosa (DM). CASUÍSTICA E MÉTODO: O estudo foi retrospectivo, baseado em revisão de prontuários de 9 pacientes com DM e 11 com DR submetidos a plastia ou reconstrução valvar mitral entre julho de 1992 e agosto de 1999. Foram realizados 26 procedimentos na valva mitral dos pacientes com DM e 31 naqueles com DR. Anuloplastia com anel maleável de pericárdio bovino foi realizada em 18 (90%) pacientes, e apenas duas com anel rígido (uma em cada grupo). Em relação ao reparo de defeitos nas cúspides, foi realizado um total de 24 procedimentos. As técnicas foram ressecção quadrangular (n = 13), encurtamento por trincheira (n = 5)...

‣ Lesão bilateral dos óstios coronários na sífilis cardiovascular: relato de caso

Machado,Mauricio de Nassau; Trindade,Percival F.; Miranda,Rafael Carlos; Maia,Lilia Nigro
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
A sífilis é uma doença infecciosa que se desenvolve em estágios e pode acometer o sistema cardiovascular e neurológico. Em 30% dos pacientes não tratados, a sífilis desenvolve sua forma terciária. Relatamos o caso de um homem de 46 anos, admitido por edema pulmonar agudo por cardiopatia isquêmica com bloqueio completo do ramo esquerdo, submetido a terapia fibrinolítica com sucesso. Angiografia coronária mostrou lesão ostial de 90% na artéria coronária esquerda e oclusão do óstio da artéria coronária direita. Os títulos de VDRL foram de 1/128. O paciente foi submetido a revascularização do miocárdio e recebeu alta após tratamento antibiótico com penicilina cristalina.

‣ Prevalências de sobrepeso, obesidade e hábitos de vida associados ao risco cardiovascular em alunos do ensino fundamental

Nobre,Moacyr Roberto Cuce; Domingues,Rachel Zanetta de Lima; Silva,Atalanta Ruiz da; Colugnati,Fernando Antonio Basile; Taddei,José Augusto de Aguiar Carrazedo
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
OBJETIVO: Estudar a prevalência do risco cardiovascular associado ao estilo de vida de escolares da 5ª à 8ª série do ensino fundamental público e privado. MÉTODOS: Foram visitadas 87 salas, selecionadas aleatoriamente, totalizando 2125 estudantes que responderam ao questionário e tiveram o índice de massa corpórea calculado. A amostra representa cerca de 2% dos alunos de duas regiões de ensino do município de São Paulo. RRESULTADOS: Foram observados 24% com sobrepeso ou obesidade, 53,3% com hábito alimentar inadequado, 15,4% com sedentarismo, 62,6% com consumo de álcool, e 23,1% de cigarro. Entre 5ª e 8ª série dobrou o uso de bebidas alcoólicas, triplicou a proporção de adolescentes do sexo masculino que experimentou o cigarro, e quintuplicou do sexo feminino. Em contraposição, decresceu o hábito alimentar inadequado, embora 40% dos alunos das escolas públicas, e 58% das privadas, apresentem essa condição na 8ª série. O percentual de alunos com sobrepeso e obesidade foi maior nas escolas privadas, com o crescer das séries houve decréscimo dessa proporção, apesar de não atingir nível de significância estatística. O sedentarismo foi maior na escola pública e, com o crescer da idade, se mostrou controverso entre a escola pública e privada...

‣ Frequência de fatores de risco cardiovascular em voluntários participantes de evento de educação em saúde

Coltro,Rodrigo Soler; Mizutani,Bruno Moreira; Mutti,Anibal; Délia,Maria Paula Barbieri; Martinelli,Luiz Mário Baptista; Cogni,Ana Lúcia; Matsubara,Beatriz Bojikian
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.870635%
INTRODUÇÃO: As doenças cardiovasculares (DCV) constituem a principal causa de óbito no Brasil. OBJETIVO: Avaliar a frequência dos fatores de risco para DCV em indivíduos participantes de evento de educação em saúde na comunidade. MÉTODOS: Foram analisados retrospectivamente 428 formulários contendo informações clínicas e demográficas de voluntários participantes de evento em saúde, realizado em maio de 2006. Comparações entre proporções foram realizadas pelo teste do Qui quadrado e entre grupos pelo teste t de Student. As associações entre hipertensão arterial (HAS) e diabetes mellitus (DM) e variáveis clínicas foram avaliadas pelo modelo de regressão logística multivariado. O nível de significância adotado foi p<0,05. RESULTADOS: A idade média foi 57±14 anos, sendo 58% mulheres. Os principais fatores de risco cardiovascular observados foram HAS (39,5%), DM (15,4%) e dislipidemia (25,8%), sendo que 8,4%, 17,5% e 33,1%, respectivamente, não sabiam informar sobre esses antecedentes. Antecedentes familiares de DCV ocorreram em 41% dos indivíduos e somente 67% referiram ter algum acesso a informações sobre DM ou dislipidemia. Entre os obesos (IMC>30 Kg/m², 27,3% da casuística), a pressão arterial sistólica (133±16mmHg) e diastólica (84±11...

‣ Avaliação dos fatores de risco laborais e físicos para doenças cardiovasculares em motoristas de transporte urbano de ônibus em Montes Claros (MG)

Alquimim,Andréia Farias; Barral,Ana Beatris Cezar Rodrigues; Gomes,Kênnya Caroline; Rezende,Mayra Costa de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.007803%
Este estudo buscou avaliar os fatores de risco para doenças cardiovasculares em motoristas de ônibus em Montes Claros (MG). Foi empregado um questionário semiestruturado abordando dados pessoais, antropométricos, profissionais e laborais; e outro referente ao grau de estresse. Foram pesquisados 53 motoristas de ônibus e a média de idade foi de 30 a 39 anos, e dessa população, 81,1% diziam não ser fumantes, 58% não consumiam bebida alcoólica e 50% praticavam algum tipo de exercício. Na avaliação do IMC 40 motoristas (75,4%) estavam com excesso de peso. A prevalência dos hábitos alimentares foi de excesso consumo de açúcar (66,0%), de gordura (64,2%), de café (69,8%), de sal (60,4%), de Coca Cola (64,2%) e de refrigerante (54,7%). Dentre os relatos de doenças crônicas não foram observados motoristas diabéticos (98,1%) e nem hipertensos (94,3%). A maioria da amostragem, 69,7% teve nível de estresse normal. Em relação aos dados laboratoriais, a grande maioria dos motoristas apresentou hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia. Os níveis de HDL estavam satisfatórios, e o de LDL apresentou nível normal e desejável em mais da metade da amostra. A prevalência para doença cardiovascular mostrou-se baixa.

‣ Risco cardiovascular e prática de atividade física em crianças e adolescentes de Muzambinho/MG: influência do gênero e da idade

Chehuen,Marcel da Rocha; Bezerra,Allan Irwin Leite; Bartholomeu,Teresa; Junqueira,Nívia Oliveira; Rezende,Januária Andrea Souza; Basso,Luciano; Oliveira,Jorge Alberto; Lemos,Wilian Peres; Tani,Go; Prista,Antonio; Maia,José António Ribeiro; Forjaz,Clá
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
INTRODUÇÃO E OBJETIVO: A doença cardiovascular inicia na infância e está atrelada à presença de fatores de risco cardiovascular (FRC). A prevalência desses fatores varia em diferentes populações brasileiras, tendo sido estudada principalmente em cidades de médio e grande porte. Este estudo avaliou a prevalência dos FRC e da prática de atividade física (AF) em crianças e adolescentes de Muzambinho, uma cidade de pequeno porte. MÉTODO: Foram avaliados 205 sujeitos (entre sete e 18 anos - 108 do gênero masculino). Foram medidos: peso, estatura, glicemia, colesterolemia, pressão arterial (PA) e prática de AF. As comparações foram realizadas pelo teste do Qui-quadrado. RESULTADOS: A prevalência de sobrepeso foi de 19% e de valores alterados de PA, glicemia e colesterolemia foram de, respectivamente, 11, 5 e 15%. Não houve diferença na prevalência dos FRC entre os sexos. O tabagismo, o alcoolismo, a PA alterada e a insuficiência de AF aumentaram com a idade. Setenta e nove por cento dos sujeitos praticavam AF de locomoção, 10% ocupacional, 97% nas aulas de educação física, 72% no recreio e 90% de lazer. Noventa e dois por cento foram considerados ativos. A prática de AF ocupacional foi maior nas meninas e aumentou nos meninos com a idade. A prevalência de AF de lazer e recreio diminuiu com a idade nos dois sexos. CONCLUSÃO: A prevalência de FRC...

‣ Estudo de associação entre nível de atividade física, risco cardiovascular e o polimorfismo do gene da apolipoproteína e em idosos

Antonini,Tiago; Castro,Luciano; Paz,Jose Antonio de; Schwanke,Carla Helena Augustin; Gottlieb,Maria Gabriela Valle; Bittencourt,Leonardo; Ribeiro,Euler Esteves; Cruz,Ivana Beatrice Mânica da
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
INTRODUÇÃO: com o envelhecimento, ocorre perda gradual do volume da massa muscular, responsável por quase toda a perda da força nos idosos. Estudos têm mostrado que a atividade física pode diminuir a morbidade por doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e aumentar a autonomia e independência. OBJETIVO: analisar a associação entre nível de atividade física, risco cardiovascular e o polimorfismo do gene da Apolipoproteína E em idosos. MÉTODOS: estudo retrospectivo, observacional a partir de um banco de dados de base populacional onde foram selecionados idosos sedentários e com histórico de atividade física regular que eram portadores e não portadores do alelo e4 do gene da apolipoproteína E. Foram aplicados os seguintes questionários: (a) International Physical Activity Questionnaire (IPAC); (b) recordatório 24 horas e miniquestionário de frequência alimentar; (c) análises bioquímicas do perfil lipídico e glicêmico. RESULTADOS: 255 idosos foram investigados; destes, 51 (20%) eram homens e 204, mulheres (80%). A idade média da amostra foi de 67,8±5.9 anos de idade (mínimo 60 máximo 86 anos). A frequência dos alelos foi de: alelo e3 =0.78, e4=0.16 e e2=0.06; 45 idosos (17.6%) possuíam pelo menos um alelo e4 e eram sedentários...

‣ Cardiovascular magnetic resonance and computed tomography imaging for the assessment of cardiovascular complications of type 2 diabetes mellitus

Graça, Bruno Miguel Silva Rosa da
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.830178%
Diabetes mellitus is responsible for diverse cardiovascular complications such as increased atherosclerosis in large arteries (carotids, aorta, and femoral arteries) and increased coronary atherosclerosis. A number of noninvasive tests are now available to detect coronary atherosclerotic disease, myocardial dysfunction and myocardial ischemia. The potential of cardiovascular imaging for the assessment of cardiovascular complications of type 2 diabetic patients is an active field of research. The purpose of the present research is to study the role of novel cardiac imaging techniques in assessing cardiovascular disease in patients with type 2 diabetes mellitus. Chapter 1 provides an overview of the definition, classification, diagnosis and prevalence of diabetes mellitus. Moreover, are described the cardiovascular manifestations of diabetes mellitus and discussed the pathophysiological mechanisms responsible for diabetic cardiovascular disease. Chapter 2 provides an overview of the background of different noninvasive imaging modalities that are used for the evaluation of cardiovascular disease in diabetes mellitus. In Chapter 3 we discussed the issue of screening cardiovascular disease in asymptomatic diabetic patients. In Chapter 4...

‣ QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM À PESSOA COM DOENÇA CARDIOVASCULAR

Ferreira, Paulo Alexandre Carvalho; Parreira, Pedro Miguel Santos Dinis
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 02/11/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.007803%
Introdução: O ser humano tenha os meios necessários para a satisfação das suas necessidades enquanto pessoa receptora e emissora de cuidados de enfermagem, devendo ser compreendidas a coexistência de circunstâncias de índole pessoal e/ou profissional, que podem dificultar ou facilitar o profissionalismo e a satisfação dos utentes, no sentido da procura da melhoria da qualidade dos cuidados e da promoção da saúde.   Objetivos: Identificar as diferenças de percepções da qualidade dos cuidados de enfermagem dos profissionais e dos utentes, no sentido de ajudar a melhorar os cuidados de saúde e de enfermagem, desde a admissão até à preparação da alta, das pessoas com doença cardiovascular em contexto de internamento hospitalar. Metodologia: Quantitativa, Descritiva; Transversal; Correlacional. Amostra: 132 utentes e 61 enfermeiros. SUCEH21: Satisfação dos Utentes com os Cuidados de Enfermagem Hospitalar. SPSS 17.0 Conclusão: 1. Os profissionais de saúde percepcionam MAIOR qualidade/satisfação dos cuidados de enfermagem na "Eficácia da comunicação" e MENOR "utilidade da comunicação". 2. Os doentes elegem os factores relacionados com a informação, na sua "utilidade" e "eficácia" como práticas profissionais de MENOR qualidade...

‣ Perda auditiva neurosensorial no lúpus eritematoso sistêmico; Sensorioneural hearing loss in systemic lupus erythematosus

Ana Luisa Vanalle Ferrari
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.87819%
Introdução: Perda auditiva neurosensorial é conhecida como uma manifestação incomum do Lúpus Eritematoso Sistêmico(LES), podendo ocorrer como primeira manifestação de doença, já tendo sido associada com Síndrome do Anticorpo Antifosfolípide (SAF) e doença cardiovascular. Objetivo: Determinar a frequência de perda auditiva em um grupo de pacientes com lúpus eritematoso sistêmico e avaliar a associação entre a perda auditiva e idade, tempo de doença, atividade de doença e dano, anticorpos antifosfolípides e fatores de risco para doença cardiovascular. Método: Foi realizado um estudo transversal que incluiu pacientes com LES do sexo feminino acompanhadas no ambulatório de Reumatologia da Unicamp de forma consecutiva. Em todas as pacientes foram realizadas avaliação clínica, laboratorial e audiometria. Análise Estatística: Foi realizada análise de componentes principais (PCA), correlação de Speaman e regressão logística. Resultados: Foram estudadas 89 pacientes, todas do sexo feminino e com média de idade de 38,98 (±7,77) anos. A média de duração de doença foi 10,29 (± 9,19). Perda auditiva neurosensorial avaliada por audiometria e avaliação clínica foi encontrada em 14 pacientes, o que corresponde a 16%. Não se observou associação entre a perda auditiva e idade...

‣ Perfil bioquímico e molecular das ectonucleotidases no sistema cardiovascular de ratos diabéticos por estreptozotocina

Rücker, Bárbara
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
Ectonucleotidases constituem uma cascata enzimática altamente organizada para regulação da sinalização mediada por nucleotídeos, controlando a quantidade e a taxa de degradação destes, além da formação do respectivo nucleosídeo. Nucleotídeos/ nucleosídeos extracelulares são conhecidos por regularem diversas respostas fisiológicas, incluindo o tônus vascular, função cardíaca e homeostasia. Neste estudo nós analisamos a presença dos membros das famílias das E-NTPDases, E-NPPs e ecto-5'-nucleotidase em tecido de ventrículo esquerdo (VE) de ratos. A análise por PCR mostrou a expressão da NTPDase1, 2, 3,5,6, ecto-5'-NT/CD73, NPP2 e NPP3, excluindo a presença da NPP1 e NTPDase8. Através da análise por PCR em tempo real, encontramos o maior nível de expressão de mRNA para a NTPDase2 no ventrículo esquerdo. Também caracterizamos as propriedades bioquímicas e atividades enzimáticas em sinaptossomas de terminal nervoso (sinaptossoma cardíaco) em VE. No estudo das propriedades das E-NTPDases e ecto-5'-NT, observamos dependência de cátions divalentes, pH ótimo de 8.0 para as hidrólises de ATP e ADP e 9.5 para a hidrólise de AMP. Os valores de Km aparente são 40 µM, 90 µM, 39 µM e os valores de Vmax aparente são 537...

‣ Adaptações morfofuncionais de indivíduos após programa de reabilitação cardiovascular

Nery, Tatyana
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
Português
Relevância na Pesquisa
46.95745%
Trabalho de Conclusão do Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharelado no Curso de Educação Física da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; Dados epidemiológicos comprovam os benefícios do exercício físico regular para a saúde. Relevante são os estudos que indicam 20% a 30% de redução da mortalidade em coronariopatas que participam regularmente de programas de reabilitação cardíaca. As ações realizadas nesses programas são delineadas para diminuir os efeitos deletérios e limitantes da patologia e assegurar as melhores condições físicas, psicológicas e sociais para que, por meio da geração de autonomia, os indivíduos reassumam o seu lugar na sociedade. Estes programas tem importância fundamental por promoverem melhora da capacidade funcional e redução dos fatores de risco. A elevação em 1% do consumo máximo de oxigênio é capaz de determinar redução de 2% na mortalidade cardiovascular. Além disso, o custo desses programas são relativamente baixos comparados ao tratamento medicamentoso. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo verificar as adaptações morfofuncionais de indivíduos participantes de um programa de reabilitação cardiovascular, visando responder quais adaptações ocorre pós intervenção de quatro meses de exercício físico supervisionado. O tipo de pesquisa foi descritiva e comparativa...

‣ Avaliação dos fatores de risco laborais e físicos para doenças cardiovasculares em motoristas de transporte urbano de ônibus em Montes Claros (MG)

Alquimim,Andréia Farias; Barral,Ana Beatris Cezar Rodrigues; Gomes,Kênnya Caroline; Rezende,Mayra Costa de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.007803%
Este estudo buscou avaliar os fatores de risco para doenças cardiovasculares em motoristas de ônibus em Montes Claros (MG). Foi empregado um questionário semiestruturado abordando dados pessoais, antropométricos, profissionais e laborais; e outro referente ao grau de estresse. Foram pesquisados 53 motoristas de ônibus e a média de idade foi de 30 a 39 anos, e dessa população, 81,1% diziam não ser fumantes, 58% não consumiam bebida alcoólica e 50% praticavam algum tipo de exercício. Na avaliação do IMC 40 motoristas (75,4%) estavam com excesso de peso. A prevalência dos hábitos alimentares foi de excesso consumo de açúcar (66,0%), de gordura (64,2%), de café (69,8%), de sal (60,4%), de Coca Cola (64,2%) e de refrigerante (54,7%). Dentre os relatos de doenças crônicas não foram observados motoristas diabéticos (98,1%) e nem hipertensos (94,3%). A maioria da amostragem, 69,7% teve nível de estresse normal. Em relação aos dados laboratoriais, a grande maioria dos motoristas apresentou hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia. Os níveis de HDL estavam satisfatórios, e o de LDL apresentou nível normal e desejável em mais da metade da amostra. A prevalência para doença cardiovascular mostrou-se baixa.